Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

ASSÉDIO MORAL

Roteirista do Zorra denuncia pressão para equipe apoiar Marcius Melhem

REPRODUÇÃO/GNT

Imagem de Marcius Melhem no Que História é Essa, Porchat?

Marcius Melhem no Que História é Essa, Porchat?; ex-chefe do humor da Globo é acusado de assédio

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 7/12/2020 - 20h19

Após a divulgação dos casos de assédio supostamente cometidos por Marcius Melhem, um roteirista do Zorra denunciou que a equipe do humorístico foi pressionada para apoiar o ex-diretor de Humor da Globo. Segundo relato publicado nesta segunda-feira (7), a autora Daniela Ocampo teria insistido para que funcionários assinassem um documento no qual afirmaram que nunca presenciaram atos de assédio moral por parte de Melhem.

"O que todos nós [roteiristas do Zorra] lembramos é que a Dani chegou na nossa sala e disse: 'Quem quiser assina, quem não quiser não assina'. Só que, claro, como ela tinha uma posição hierárquica superior, a maioria das pessoas assinou", afirmou o roteirista em entrevista para Leo Dias, colunista do jornal Metrópoles.

Segundo o profissional, ele e os colegas de trabalho ficaram surpresos com a atitude da autora, que era o braço direito de Melhem no departamento de Humor da emissora

"Eu assinei também, claro. E, fato, o abaixo-assinado é apenas em relação ao assédio moral. Achamos muito injusto dizer que o abaixo-assinado partiu da equipe, pois não partiu. Alguém do elenco pode ter procurado ela, mas ela que organizou tudo, inclusive pedindo o número de matrícula das pessoas no grupo de Whatsapp", relembrou.

No depoimento, ele também disse que se sentiu assediado com a pressão para participar do abaixo-assinado: "Senti assédio moral ao chegar uma pessoa superior e dizer para assinar um abaixo-assinado 'sem obrigação'. Não foi uma 'passação de pano', como todos dizem, foi um movimento hierárquico que partiu da Daniela Ocampo no qual muita gente, inclusive eu, se sentiu pressionada a assinar com medo de perder seus empregos".

Versão de Daniela Ocampo

Em seu perfil no Instagram, Daniela rebateu a acusação. "Gostaria de esclarecer que, quando assinei e encaminhei as cartas, não havia nenhuma denúncia de assédio sexual. Os abaixo-assinados referiam-se ao fato de o programa Fora de Hora não ser um plágio do Furo MTV e de, ao contrário do que havia sido afirmado por um jornalista, não haver assédio moral no ambiente de trabalho do Zorra", declarou ela.

"Amigos e equipe me procuraram pois queriam se pronunciar formalmente contra essas acusações. Na época, nenhuma informação contrária a essa havia sido falada. E, principalmente, a gente não sabia de nenhuma denúncia de assédio sexual. Só alguns meses atrás comecei a ouvir histórias, pessoas me procuraram, e eu as procurei", prosseguiu.

"Entendi que não sabia muita coisa e que, por trabalhar diretamente com o Marcius, muita gente se afastou de mim. Eu era a última pessoa a quem alguém contaria algo. Fiquei devastada com o que ouvi. Ainda estou. Por mais que as pessoas adorem culpar as mulheres por não terem visto isso ou aquilo, é possível não ver, sim", complementou Daniela.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual reality show você acompanhará após o fim do BBB21?