Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

BRIGA NA JUSTIÇA

Processadas há cinco anos, Pepê e Neném rebatem acusações de ex-empresária

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Imagem de Pepê (à dir. de branco) e Neném (à esq. de preto)

Pepê e Neném em foto publicada nas redes sociais; cantoras se defenderam de acusações

PAOLA ZANON

paola@noticiasdatv.com

Publicado em 27/7/2020 - 12h28

Pepê e Neném rebateram as acusações que sofreram pela ex-empresária, Angélica Capelete, de venderem um carro bloqueado na Justiça. As cantoras foram processadas por ela há cinco anos por causa de uma multa de quebra de contrato que não foi paga após a participação em A Fazenda 7. "Esse carro é muito antigo, foi vendido quando ainda morávamos em Niterói (RJ)", afirmou Neném.

Em conversa com o Notícias da TV, a irmã gêmea de Pepê explicou que o veículo em questão já havia sido vendido antes de elas entrarem no reality show da Record e que não pagaram Angélica porque não possuem dinheiro. "Não temos nada em nosso nome. Como vamos pagar uma coisa que a gente não tem?", questionou a cantora.

Em 2015, a ex-assessora da dupla entrou com uma ação na Justiça por ter tido o contrato quebrado sem o pagamento da multa e de 20% do cachê que elas receberam pela participação em A Fazenda. Pepê e Neném acabaram sendo condenadas a pagar R$ 12 mil para Angélica e tiveram todos os bens bloqueados.

"A gente chegou a pagar um dinheiro para ela quando entramos em A Fazenda, mas ela queria mais. Explicamos que não tínhamos, a gente não ganhou o programa", afirmou Neném. "Ela nunca tentou falar com a gente [antes de entrar na Justiça], é mentira isso. Se tivesse tentado, a Pepê teria feito um acordo", completou.

Angélica, no entanto, afirmou que foram as cantoras que sumiram. "Quando saíram da Fazenda, eu estava trabalhando com elas, e não me atenderam mais", disse. A empresária, então, decidiu processá-las, mas até o momento não recebeu nada do que foi determinado pela Justiça. "Recusaram [pagar] alegando meio de subsistência", explicou ela.

"Infelizmente ela ganhou, mas nossa advogada provou com documentos que não temos como pagar", assegurou a irmã de Pepê. "Estamos sem trabalhar. O que eu mais quero é ganhar dinheiro, comprar casa própria e pagar essa dívida", continuou. A cantora ainda revelou que já auxiliou a ex-empresária em outras ocasiões. "Ela precisou de ajuda com o filho. Foi uma facada nas costas essa atitude", lamentou.

Angélica, por sua vez, afirmou que não irá desistir do processo e ainda acredita que será paga. "Meu advogado está tomando as providências cabíveis", declarou. "Agora é com a Justiça, ela tarda, mas não falha. Tenho que acreditar que [elas] não ficarão impunes", finalizou ela.


Leia também

Enquete

Com quem Irma merece ficar em Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.