Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

LUCAS MALVACINI

Lembra dele? Anjinho de Amor à Vida vira Bela Gil de calças na pandemia

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Lucas Malvacini na casa da família em Juiz de Fora, Minas Gerais

Lucas Malvacini na casa da família em Juiz de Fora (MG); ator criou horta por alimentação saudável na pandemia

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 6/1/2021 - 6h55

Em 2013, Lucas Malvacini conquistou os telespectadores de Amor à Vida, da Globo, na pele de Anjinho, o amante de Félix (Mateus Solano) na trama. Anos após fazer o público suspirar, o ator se viu diante de uma nova realidade. Por causa da pandemia, se mudou temporariamente para Juiz de Fora (MG) para ficar perto da família. Lá se voltou totalmente para a alimentação saudável e virou defensor da causa. Aos 31 anos, se viu cuidando de uma horta, como uma espécie de Bela Gil de calças.

"Faz dois anos que tirei totalmente a carne da alimentação, preferindo me alimentar com vegetais. Isso abriu espaço para rever minhas escolhas e entender que por meio delas posso contribuir para reduzir o impacto no mundo. A alimentação foi a porta de entrada para novas possibilidades", conta Malvacini para o Notícias da TV.

A mudança no estilo de vida ganhou força durante a pandemia. Mas sua transformação é anterior ao período do coronavírus. "Eu sofria muito com queda de cabelo, ansiedade, tinha problemas de insônia e transtornos de humor. Ficava gripado constantemente, tinha alergias e sinusite. Os novos hábitos me fizeram perceber que os alimentos que ingerimos podem ser uma cura, como também podem ser nocivos à nossa saúde. Estou há dois anos sem tomar remédios e sem adoecer", comemora.

"A prática de atividades físicas se tornou minha válvula de escape para renovar as energias. Além dos treinos de crossfit e corrida que já me acompanhavam, comecei a praticar tênis e futevôlei. As mudanças e o período de pandemia me fizeram procurar soluções sustentáveis dentro da minha própria casa, criei uma horta em que já tenho alguns legumes e vegetais direto do meu quintal e estamos transformando a energia em limpa e sustentável", continua.

Compenetrado no cultivo do que leva à mesa, Malvacini também se aperfeiçoou na cozinha. Em suas redes sociais, ele costuma exibir as combinações que faz em seu prato. "A culinária foi uma descoberta. Antes não passava fome, eu me virava pois sempre morei sozinho. Mas hoje posso dizer que vou preparar um jantar e não vou passar vergonha com meus convidados (risos)", comemora.

Na pandemia, ele se aproximou do trabalho da culinarista e apresentadora Bela Gil, referência em alimentação saudável. "Ser comparado com ela é incrível, mas não sou [parecido]. Ela faz muitas receitas, eu faço só algumas. Tenho alguns pratos na manga (risos). A Bela Gil foi uma descoberta na quarentena", revela.

Rodrigo Hilbert, que comanda o Tempero de Família, no GNT, também está no seu radar. "O Rodrigo é uma referência muito maior da quebra da masculinidade e do pensamento de que homem não pode ficar na cozinha", considera.

De anjinho a bombeiro desejado

Por causa da quarentena, Malvacini parou de trabalhar integralmente como modelo em 2020. Catálogos de moda e publicidade eram o seu ganha-pão. "Muitos projetos que estavam para acontecer tiveram de ser cancelados. O que mais faço é modelar. Eu estava com alguns comerciais e campanhas. Tudo caiu. Profissionalmente, foi um ano sabático total", lamenta.

Ferdinando (Marcus Majella) e o bombeiro Rômulo (Lucas Malvacini) no Vai Que Cola, do Multishow

Apesar do contratempo na agenda profissional, o ator frisa que não passou sufoco financeiramente, pois já estava prevenido. "Passei por uma situação há alguns anos e, por isso, tinha uma reserva. Tive que recorrer a essa reserva", explica.

Mesmo sem a ocupação como modelo, ele conquistou uma nova função no período de crise. "Aumentou o trabalho de influenciador digital. De certa maneira, deu certo. A pandemia teve isso: todo mundo ficou online. Tive a oportunidade de trabalhar digitalmente. Foi excelente, e está sendo. Apertou de um lado, mas por outro melhorou", comemora.

Em 2021, Malvacini planeja a retomada da vida no Rio de Janeiro. Ficaram algumas leituras de peças a serem feitas. O ofício de ator nunca parou. A fama de Anjinho também perdura até hoje.

"Amor à Vida sempre será lembrada pela mensagem que passou. Depois dela, muitos produtos foram aparecendo com essa temática e debate, que ainda hoje é questionado na sociedade. O preconceito é triste e ainda acontece. É importante ter novelas falando sobre isso para informar a população", analisa.

No entanto, ele revela que seu trabalho mais recente é o que mais repercute entre os fãs. "Hoje posso falar que sou mais reconhecido pelo bombeiro Rômulo do Vai que Cola (risos)", comemora. No humorístico do Multishow, ele faz participações como o paquera de Ferdinando (Marcus Majella) e é sucesso, mais uma vez, entre o público LGBTQ+.

"É um assédio afetuoso. Não é tarado, não é sexual. Lógico, sempre tem piadas de duplo sentido. Mas 90% dos casos são afetuosos. Quando vejo as métricas das minhas redes sociais, vejo que é 50% masculino e 50% feminino. Grande parte é LGBTQ+ que me acompanha há anos. É incrível ver essa trajetória de quase dez anos. Esse assédio não me incomoda em nada. Pelo contrário, só fortalece o meu trabalho", considera.

Por figurar no imaginário masculino, o ator já encarou rumores sobre sua sexualidade. Para ele, isso não é uma questão. "Muitas vezes, a gente permanece no imaginário e não sabe como está lá. Não me incomodo em nada de pensarem ou acharem que sou gay. É o reconhecimento do meu trabalho", comenta.

"E se um dia eu me apaixonar por um homem, de querer ter relação e namorar, não consigo ver problema nisso. Levo isso como amor. Toda forma de sentimento tem que ser vivida. Amor não escolhe pessoa", finaliza. Ao fã-clube do galã, o nome de seu atual amor é Laura Alvarenga.

Veja fotos de Lucas Malvacini e sua vida saudável:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?