Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

'ATENDIMENTO PRECOCE'

Flávia Viana se desculpa por post sobre Covid-19 e promete doar dinheiro

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Flávia Viana em foto no Instagram, de vestido preto

Flávia Viana em foto no Instagram; influenciadora se desculpou por post pago pelo governo sobre Covid-19

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 31/3/2021 - 19h52

Paga pelo governo de Jair Bolsonaro para fazer propaganda sobre o "atendimento precoce" da Covid-19, Flávia Viana chorou e pediu perdão pela publicação. Ela também prometeu doar o dinheiro que ainda vai receber pela ação de marketing às pessoas impactadas pela pandemia no Brasil.

"Sobre o dinheiro, apesar de já fazer meses, ainda não recebi. Assim que for recebido, o dinheiro será doado para ajudar as pessoas afetadas pela Covid-19", afirmou a ex-BBB.

Nesta quarta-feira (31), a Agência Pública revelou que o governo federal gastou R$ 1,3 milhão com ações de marketing sobre o "atendimento precoce" da doença. Segundo a reportagem, o ministério da Saúde e a secretaria de Comunicação (Secom) pagaram R$ 23 mil para Flávia e outros três influenciadores (João Zoli, Jéssika Taynara e Pam Puertas) divulgarem a campanha em suas redes sociais.

Os documentos, obtidos pela reportagem via Lei de Acesso à Informação (LAI), apontam que a ex-BBB faturou R$11,5 mil por uma publicação realizada em seu Instagram no dia 14 de janeiro deste ano. Veja a postagem abaixo:

A influenciadora usou os Stories do Instagram para dar sua versão do caso e explicou que a ideia era conscientizar a população sobre os cuidados preventivos relacionados à Covid-19.

"Quando minha equipe foi procurada para fazer a publicidade, aceitamos pois era para alertar as pessoas para os cuidados, lavar as mãos, máscaras, usar álcool em gel, ficar atentas aos sintomas. Meu intuito foi de cuidado mesmo, sabe? Apenas para informar", justificou a campeã de A Fazenda 9, da Record, em 2017.

"Em janeiro, a minha equipe foi procurada para a gente fazer um trabalho de divulgação dos cuidados que a gente teria que ter com a Covid-19, e os trabalhos incluíam máscara e álcool gel, tudo que a gente tem falado desde o começo dessa pandemia. A minha intenção ao fazer esse trabalho foi única e exclusivamente ajudar. Minha intenção sempre foi ajudar, jamais faria algo para prejudicar as pessoas, já que são essas pessoas que me dão visibilidade e trabalho", completou.

A influenciadora afirmou que não gosta de se envolver em política, disse que tem "nojo" de falar sobre quem governa o país e reforçou que não acredita no tratamento precoce da doença, com medicamentos como cloroquina e ivermectina, que não têm eficácia comprovada pela ciência no tratamento da Covid-19, mas são propagandeados pelo presidente Jair Bolsonaro desde o início da pandemia.

"Se hoje eu consigo realizar tantas coisas é porque tenho o carinho de tanta gente e jamais me envolveria em política. Nunca fiz isso e não é o caso. Não acredito em tratamento precoce, o post não é sobre isso. Sei que não existe e é perigosíssimo, visto o caos que está nosso país", apontou Flávia.

"Eu oro muito para que tenhamos logo vacina para todos e que os governantes tenham mais respeito pela população que está à mercê dessa pandemia. Oro para que a vida volte aos poucos ao 'normal', se é que é possível, já que tantas vidas foram levadas por essa terrível doença", concluiu.

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Flávia justificou post sobre Covid-19


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Após derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco originalTadeu Schmidt no BBB22: Conheça a carreira do apresentador na GloboRenascer no Globoplay: Saiba por onde anda o elenco da novela 28 anos depois

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas