Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

MADELINE BREWER

Ex-garçonete, atriz de Handmaid's Tale pede carro blindado para vir a SP

DIVULGAÇÃO/HULU

Madeline Brewer interpreta a caolha Janine em The Handmaid's Tale, série exibida no Brasil pelo Paramount Channel - DIVULGAÇÃO/HULU

Madeline Brewer interpreta a caolha Janine em The Handmaid's Tale, série exibida no Brasil pelo Paramount Channel

GABRIEL PERLINE

Publicado em 17/8/2018 - 5h53

Madeline Brewer, atriz que interpreta a aia caolha de The Handmaid's Tale, vem a São Paulo neste mês para divulgar a estreia da segunda temporada da série, prevista para 2 de setembro, no Paramount Channel. Ela, que há cinco anos trabalhou como garçonete em Nova York para conseguir pagar seu aluguel, pediu carro blindado para circular pela cidade e também a vinda de suas maquiadora e cabeleireira pessoais.

A escolha do automóvel precisou ser submetida à sua agente, que definiu o modelo considerado mais apropriado para ela poder transitar com segurança no tour que a própria Madeline Brewer pediu para fazer para conhecer alguns pontos turísticos.

Ela terá um tratamento digno de uma grande estrela internacional: ficará hospedada em um hotel cinco estrelas instalado em um bairro nobre da zona oeste de São Paulo e terá uma equipe de seguranças particulares à sua disposição durante as 40 horas em que permanecerá na cidade.

Adepta do veganismo, ela se alimentará de um cardápio elaborado com exclusividade para a sua dieta.

A estreia de Madeline Brewer na TV foi em 2013, quando atuou na primeira temporada de Orange Is the New Black, da Netflix. Embora sua personagem, Tricia, tenha se destacado, seu desfecho a impediu de seguir na história e ela se viu novamente desempregada.

Durante um ano, sem perspectiva de novos papéis, ela enfrentou dificuldades financeiras e precisou trabalhar como garçonete em cafeterias de Nova York para conseguir pagar seu aluguel.

Em 2014, a Netflix voltou a contratá-la, dessa vez para um papel grande na fracassada Hemlock Grove (2013-2015), mas o novo compromisso durou apenas uma temporada e ela novamente voltou a servir cafés.

Pequenos trabalhos lhe surgiram até ser escalada para The Handmaid's Tale, em 2017. A série virou um fenômeno mundial, e Madeline Brewer caiu nas graças do público ao interpretar a aia Janine, uma mulher ingênua, iludida e infantil, que tem seu olho arrancado após apresentar mau comportamento.

O que vem por aí
(Atenção, a partir daqui o texto contém spoilers)
A série, atual vencedora do Emmy de melhor drama, chega à TV paga brasileira com uma janela menor em comparação ao primeiro ano, com um intervalo de pouco mais de quatro meses. A primeira leva de episódios começou a ser exibida para os brasileiros quase um ano após a estreia nos Estados Unidos.

Na segunda temporada, Offred/June (Elisabeth Moss) está grávida e planeja fugir da República de Gileade, como é chamado o regime teocrático que toma conta dos Estados Unidos. Essa estratégia movimenta bem a trama no começo da segunda temporada, com muita ação e dramaticidade elevada.

Os novos episódios também mostrarão a Colônia, espaço no qual as mulheres inférteis e de classe baixa moram. A história por lá é contada sob o ponto de vista de Emily (Alexis Bledel), que teve o clitóris mutilado na primeira temporada. O lugar em que pessoas como ela estão é contaminado por resíduos radioativos. Até cavalos usam máscaras, mas as mulheres não.

O destaque da segunda temporada vai para a atriz Yvonne Strahovski. Intérprete da mordaz Serena Joy, senhora de Offred, ela brilha com atuações comoventes e impactantes, que lhe renderam uma indicação, merecida, ao Emmy.

Os novos capítulos abrem espaço para a atriz revelação do ano na TV americana. A atriz Sydney Sweeney, de 20 anos, vive a adolescente Eden, menina prometida a Nick Blaine (Max Minghella). Ela apareceu ao grande público na comédia Everything Sucks!, da Netflix. Sydney também atuou em Sharp Objects, da HBO.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você espera ver na TV em 2021?