Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

LUTO

Escritora e ex-modelo, Danuza Leão morre de insuficiência respiratória aos 88 anos

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Danuza Leão com blusa vermelha em entrevista

Danuza Leão em entrevista; ex-modelo morreu aos 88 anos por insuficiência respiratória

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 23/6/2022 - 8h10

Danuza Leão morreu aos 88 anos, no Rio de Janeiro, na quarta-feira (22). A ex-modelo e escritora sofria de enfisema pulmonar e não resistiu a uma insuficiência respiratória. Irmã da cantora Nara Leão (1942-1989), a também jornalista foi uma das personalidades mais importantes da sociedade carioca do século 20.

O corpo será cremado no Cemitério do Caju, mas a data e horário ainda não foram informados. Danuza nasceu em Itaguaçu, no interior do Espírito Santo, em 26 de julho de 1933. Aos dez anos, ela se mudou com a família para o Rio de Janeiro.

Ela deu início a carreira como modelo na década de 50 e foi a primeira brasileira a desfilar no exterior. Danuza também teve destaque como jurada de programa de TV, entrevistadora, foi proprietária de boutique e trabalhou como produtora de arte.

Estreou como atriz no filme Terra em Transe (1967), longa roteirizado e dirigido por Glauber Rocha (1939-1981). Na obra, ela interpretou a personagem Sílvia.

A dos anos 1990, Danuza Leão chamou a atenção pelo talento como escritora. Na sala com Danuza, livro de etiquetas sociais, liderou a lista dos mais vendidos durante um ano. Lançou em 2004 uma nova edição da obra, Na sala com Danuza 2.

Recebeu o Prêmio Jabuti pela autobiografia Quase Tudo (2005), na qual narra a vida intensa e fala sobre seus casamentos com os jornalistas Samuel Wainer (1910-1980), Antônio Maria (1921-1964) e Renato Machado.

Escreveu ainda Danuza Todo Dia (1990), Crônicas para Guardar (2002), As Aparências Enganam (2004), Danuza Leão Fazendo as Malas (2008) --também ganhador do Prêmio Jabuti--, Danuza Leão de Malas Prontas (2009), É Tudo Tão Simples (2011) e Danuza e Sua Visão de Mundo Sem Juízo (2012).

Ela também alcançou sucesso como cronista e escrevia sobre assuntos variados, como comportamento, relacionamento, família e dicas de etiqueta. A escritora foi colunista do Jornal do Brasil, da Folha de S.Paulo e do caderno ELA, do jornal O Globo.

A ex-modelo foi demitida da Folha de S.Paulo em 2013, pouco depois de causar polêmica ao declarar que as empregadas estavam melhor antes dos direitos propostos pela PEC das Domésticas e dizer que viajar para Nova York perdeu a graça, já que "por R$ 50 mensais, o porteiro do prédio também pode ir".

Danuza teve três filhos, frutos da união com o fundador do jornal Última Hora: Samuel Wainer Filho (1955-1984), Pinky Wainer e Bruno Wainer.

TUDO SOBRE

Obituários


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.