Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

ADEUS AO ÍDOLO

Diego Armando Maradona morre aos 60 anos e causa comoção na Argentina

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Diego Armando Maradona sorrindo em foto que foi publicada no Instagram

Considerado um deus argentino, Diego Armando Maradona morreu aos 60 anos nesta quarta-feira (25)

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 25/11/2020 - 13h35
Atualizado em 25/11/2020 - 14h06

Um dos maiores jogadores da história do futebol mundial em todos os tempos e considerado um "deus" na Argentina, Diego Armando Maradona morreu nesta quarta-feira (25), aos 60 anos. O ex-atleta sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua casa em Tigre, cidade na região da Grande Buenos Aires.

A morte de Maradona foi noticiada pelo jornal Clarín, da Argentina, e causou uma imediata comoção no país. Inicialmente, o veículo havia informado que o ex-jogador do Boca Juniors tinha sofrido uma parada cardiorrespiratória e que seu estado de saúde era delicado, mas poucos minutos depois atualizou a publicação.

"Comoção mundial: Morreu Diego Armando Maradona", estampou o Clarín. O texto começava apontando um pouco do que Maradona representava para os argentinos.

"E um dia aconteceu. Um dia o inevitável aconteceu. É um tapa emocional e nacional. Um golpe que reverbera em todas as latitudes. Um impacto mundial. Uma notícia que marca uma dobradiça na história. A frase que foi escrita várias vezes mas que foi driblada pelo destino agora faz parte da triste realidade: Diego Armando Maradona morreu", destacou o jornal.

O ex-atleta passou por uma cirurgia no cérebro no começo do mês e recebeu alta oito dias depois. Estava em casa se recuperando, mas não resistiu ao problema que apresentou na terça.

Presidente da Argentina, Alberto Fernández decretou luto oficial de três dias. "Você nos levou ao topo do mundo. Você nos fez imensamente felizes. Você foi o maior de todos. Obrigado por ter existido, Diego. Nós vamos sentir sua falta para a vida", escreveu o político no Twitter.

Veja abaixo:

Maradona nasceu em 30 de outubro de 1960 em Lanús e atualmente trabalhava como técnico do Gimnasia y Esgrima. Ele começou a carreira no Argentinos Juniors, em 1976, e foi ídolo do Boca Juniors. Na Europa, também virou um "deus" como jogador do Napoli, na Itália, durante a década de 1980.

Com a camisa da Argentina, o camisa 10 ganhou a Copa do Mundo de 1986 e jogou nas Copas de 1982, 1990 e 1994, quando foi pego no exame de antidoping por uso de cocaína. Daí em diante, os problemas com as drogas foram escancarados, e ele não voltou mais a jogar como antes.

O ídolo argentino aposentou as chuteiras em 1997. Sofreu com questões de saúde, mas trabalhou como técnico e sempre teve o status de lenda em sua terra natal, além de ser uma grande estrela em toda a imprensa mundial. Maradona deixa cinco filhos: Dalma, Gianinna, Jana, Diego e Diego Fernando.

No universo do futebol, ele foi um dos únicos apontados como um dos maiores jogadores da história do esporte, ao lado de Pelé, com quem tinha uma amizade nos bastidores e mantinha uma troca de farpas de rivalidade na frente das câmeras.

No último dia 30, quando Maradona chegou aos 60 anos, Pelé prestou uma homenagem. "Meu grande amigo, Maradona. Eu vou sempre te aplaudir. Eu vou sempre torcer por você. Que a sua jornada seja longa e que você continue sempre sorrindo, e me fazendo sorrir também! Feliz aniversário!", escreveu o "rei".

Confira o post abaixo:


Despedida de Maradona

Nicolás Nardin, repórter do canal Fox Sports na Argentina, entrou ao vivo no Fox Sports Rádio Brasil para conversar com Benjamin Back e comentar repercussões sobre a notícia. O próprio jornalista admitiu que chorou ao receber a informação.

Segundo ele, apesar de a Argentina ter respeitado a quarentena até aqui, a situação deve mudar nos próximos dias para a despedida de Maradona. "Eu acho que a despedida de Maradona na Argentina só vai se comparar com a da estrela Eva Perón [1919-1952] e do ex-presidente Juan Domingo Perón [1895-1974]", apontou ele.

"Maradona é maior ídolo popular da história do esporte argentino e um dos quatro maiores ídolos de tudo o que envolve a Argentina", falou Nardin.

No Twitter, a conta oficial da seleção da Argentina publicou uma imagem de Maradona beijando a taça da Copa do Mundo de 1986, com a palavra "eterno". O Boca Juniors, clube em que Maradona foi ídolo, publicou agradecimentos ao jogador também.

Veja abaixo repercussões na Argentina e também no Brasil, com uma declaração de Romário:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?