Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

LUTO

Criadora da série Os Normais, Fernanda Young morre aos 49 anos

Divulgação

A escritora e atriz Fernanda Young, que morreu neste domingo (25) após uma crise de asma - Divulgação

A escritora e atriz Fernanda Young, que morreu neste domingo (25) após uma crise de asma

REDAÇÃO

Publicado em 25/8/2019 - 11h15
Atualizado em 25/8/2019 - 11h37

A escritora, roteirista, atriz e apresentadora Fernanda Young morreu na madrugada deste domingo (25), no sítio que sua família mantinha em Gonçalves (MG). Segundo o jornal O Globo, do qual era colunista, ela teve uma crise de asma seguida de parada cardíaca. Ela tinha 49 anos e tem como destaque no currículo o seriado Os Normais (2001-2003), que criou com o marido Alexandre Machado.

O corpo da roteirista será velado a partir das 13h, no Cemitério de Congonhas, em São Paulo. O enterro acontecerá no local, às 16h. Ela deixa o marido e quatro filhos. Famosos reagiram em choque à notícia.

Fernanda se preparava para estrear a peça Ainda Nada de Novo, na capital paulista, ao lado da xará Fernanda Nobre. O espetáculo chegaria ao palco do Centro Cultural São Paulo no próximo dia 12. As duas viveriam artistas homossexuais.

Atriz, roteirista e escritora

Nascida em Niterói (RJ), Fernanda Young começou sua carreira profissional como atriz --fez a novela O Dono do Mundo (1991), na Globo. Depois de desistir das faculdades de Letras e de Rádio e TV, começou a trabalhar como roteirista.

Fez parte da equipe de Jorge Furtado, Pedro Cardoso, Guel Arraes e Luis Fernando Veríssimo que assinava os roteiros de A Comédia da Vida Privada (1995-1997), série da Globo que adaptava crônicas de Veríssimo.

Depois, criou Os Normais, que se tornou o maior sucesso de sua carreira como roteirista. Ao lado do marido, Alexandre Machado, fez três temporadas que mostraram de maneira divertida e neurótica o cotidiano do casal Vani (Fernanda Torres) e Rui (Luiz Fernando Guimarães). O sucesso foi tamanho que rendeu dois filmes, lançados em 2003 e 2007 e também assinados pelo casal.

bob paulino/tv globo

Fernanda Young e Alexandre Machado: casal da vida real foi muito produtivo nos roteiros

Fernanda e Machado nunca conseguiram repetir o sucesso de Os Normais, mas tentaram. Muito. Em 2004, fizeram Os Aspones, sobre o dia a dia de uma repartição pública cujos funcionários não têm nada para fazer. O bom elenco reunia Selton Mello, Andréa Beltrão, Pedro Paulo Rangel, Marisa Orth e Drica Moraes, mas o público não comprou a proposta, e a série saiu do ar com apenas sete episódios.

Em 2006, Fernanda e Machado decidiram retomar a parceria com Luiz Fernando Guimarães com dois formatos: o quadro Super Sincero, exibido no Fantástico, e a série Minha Nada Mole Vida (2006-2007). A segunda, sobre o colunista social Jorge Horácio (Guimarães) conseguiu durar três temporadas.

Depois, o casal apostou em uma comédia cult, O Sistema (2007). Com Selton Mello, Gregório Duvivier, Ney Latorraca e Zezé Polessa, mostrava um grupo de pessoas que lutava contra o capitalismo e o sistema. Teve apenas seis episódios.

Fernanda e Alexandre voltaram à fórmula de explorar a vida de um casal histérico em Separação?! (2010), agora com Vladimir Brichta e Débora Bloch como protagonistas. A série foi elogiada e conseguiu até uma indicação ao Emmy Internacional.

O escracho tomou conta dos roteiros com Macho Man (2011), em que o diretor Jorge Fernando passava para a frente das câmeras na pele de Zuzu, um cabeleireiro que acorda no hospital e descobre que deixou de ser gay. A série teve apenas 21 episódios e não sobreviveu até a virada do ano.

A segunda indicação ao Emmy Internacional veio com Como Aproveitar o Fim do Mundo (2012), que brincava com a profecia maia sobre o apocalipse. Com Danton Mello e Alinne Moraes como protagonistas, a produção teve apenas oito episódios. Rendeu uma adaptação internacional: a rede norte-americana CW comprou a ideia para produzir No Tomorrow (2016-2017), também cancelada depois de 13 episódios.

Depois, veio O Dentista Mascarado (2013), estreia de Marcelo Adnet na Globo. O produto não caiu nas graças do público ou da crítica, e fez Alexandre e Fernanda tentarem a sorte na TV paga. No GNT, eles fizeram a série Surtadas na Yoga (estrelada pela roteirista e exibida entre 2013 e 2014), Odeio Segundas (2015) e Edifício Paraíso.

Eles voltaram à Globo com Vade Retro, em que Monica Iozzi vivia, literalmente, a advogada do diabo (Tony Ramos). E também emplacaram uma divertida comédia no Globoplay: Shippados, com Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch.

Fernanda também escreveu vários livros, como O Efeito Urano (2001), Tudo que Você Não Soube (2007), O Pau (2009) e A Mão Esquerda de Vênus (2016). Como apresentadora, ela fez o Irritando Fernanda Young (2006-2010) e esteve em uma das formações do Saia Justa, ambos na GNT.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você acha das demissões de veteranos da Globo?