Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

FABIANA ESCOBAR

Bibi Perigosa obriga Globo a mostrar contratos de A Força do Querer na Justiça

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Fabiana Escobar em um documentário sobre a sua história de vida no YouTube

Fabiana Escobar, a Bibi Perigosa real, processou a Globo na Justiça por A Força do Querer

GABRIEL VAQUER E LI LACERDA

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 3/4/2022 - 7h00

Fabiana Escobar, a Bibi Perigosa da vida real, conquistou uma vitória na batalha que trava contra a Globo na Justiça. A 43ª Vara Cível do Rio de Janeiro determinou que a emissora tem 15 dias para apresentar os contratos de venda internacional da novela A Força do Querer (2017), baseada na história de Fabiana com o tráfico de drogas. Ela diz que não recebeu os valores corretos que foram acordados na negociação dos direitos.

O Notícias da TV teve acesso ao documento. Nele, o juiz Carlos Sérgio Saraiva indicou que a apresentação do contrato é indispensável para que se prove a versão da Globo sobre o assunto.

A líder de audiência alega que pagou tudo o que estava estipulado no acordo firmado para a compra do livro Perigosa, que serviu de inspiração para a história da personagem vivida por Juliana Paes da novela de Gloria Perez cinco anos atrás.

Os advogados de Fabiana Escobar, porém, apontaram que há uma discrepância considerável entre o valor depositado e os negócios fechados com TVs de outros países.

Para o magistrado, somente a apresentação do contrato entre a Globo e as empresas estrangeiras irá, de fato, solucionar a dúvida. "Venha pela ré [Globo], em 15 dias, os contratos de venda dos direitos da novela A Força do Querer, haja vista a alegada discrepância entre os pagamentos para alguns países, como o exemplo de Portugal", argumentou o juiz.

A decisão saiu no último dia 29. Com isso, a Globo precisa cumprir a decisão até o próximo dia 13. Se ficar sem resposta, o juiz poderá dar ganho de causa para Fabiana Escobar por entender que a defesa da emissora se recusa a sustentar sua tese com prova técnica.

Entenda a briga Bibi Perigosa x Globo

A disputa começou em março do ano passado, quando A Força do Querer era reprisada em horário nobre pela Globo por causa da pandemia. Ao encontrar encontrar discrepâncias nos depósitos bancários, Fabiana suspeitou que a emissora não tivesse lhe pagado todos os valores corretos referentes aos direitos autorais das vendas da trama de Gloria Perez para outros países.

Em sua defesa, a Globo apresentou uma planilha de pagamentos que fez para ela. Porém, o que chamou a atenção de Fabiana foi o desequilíbrio dos valores que recebeu por conta das comercializações internacionais.

De acordo com o documento, a empresa transferiu para a conta da escritora a quantia de R$ 304.617,54, em uma única parcela, por causa da venda para a SIC, emissora portuguesa.

Da venda para a Semba Studio LLC, dos Estados Unidos, Bibi ganhou R$ 1.906,68, pago em cinco prestações. E da negociação com o ARTN, canal de TV armênio-russo baseado em Los Angeles (EUA), recebeu R$ 1.386,75, também em cinco parcelas.

Ao Notícias da TV, no ano passado, Fabiana acusou erro da Globo: "Tem algo muito estranho aí nessa história. O juiz já mandou a Globo apresentar esses contratos, mas ela não quer. Ou seja, afrontou o juiz. Agora o problema é entre eles. Mas eu faço questão de receber tudo o que me é de direito".

A reportagem tentou entrar em contato com os advogados de Fabiana Escobar, mas não obteve êxito. A Globo não comenta casos sub judice.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.