Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TRAUMA

Anitta revela que sofreu estupro na adolescência: 'Era autoritário comigo'

Reprodução/Netflix

Anitta de camisa branca e casaco verde chorando

Anitta aos prantos contando que foi vítima de estupro no 1º episódio de Anitta: Made In Honório, da Netflix

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 16/12/2020 - 8h18
Atualizado em 16/12/2020 - 19h53

Anitta revelou que foi vítima de estupro na adolescência por um homem com quem se relacionou. A cantora disse que sentia medo do agressor pela forma como ele a tratava. "Eu tinha medo dele, ele era autoritário comigo", declarou no primeiro episódio da série documental Anitta: Made In Honório, que estreou na madrugada desta quarta-feira (16), na Netflix.

A dona do hit Me Gusta disse sugeriu um encontro a dois por temer que ele fosse agressivo com ela. "Quando eu tinha 14 para 15 anos, conheci uma pessoa. Ele estava muito nervoso, muito estressado. Eu estava com bastante medo das reações dele e perguntei se ele queria ir para um lugar só nós dois. Rapidamente, ele parou o estresse e perguntou se eu tinha certeza. Eu falei que sim. Hoje eu tenho plena certeza que eu falei 'sim', porque eu tinha muito medo do estresse dele", desabafou.

Aos prantos, a artista disse que se arrependeu da proposta que fez ao homem, mas que ele ignorou o seu pedido para parar de agarrá-la. Ela lembrou que foi machucada fisicamente por ele durante o ato sexual.

"Quando eu cheguei lá, realizei que não era certo fazer aquilo por medo e falei que não queria mais. Mas ele não ouviu e não falou nada. Ele só seguiu fazendo o que ele queria fazer. Quando acabou, ele saiu, abriu uma cerveja, e eu fiquei olhando para a cama cheia de sangue", detalhou.

Anitta admitiu que conviveu com a ideia de achar que a culpa do estupro sofrido era dela por muitos anos. Ela temia, inclusive, que as pessoas a julgassem pela forma como ela expõe o corpo como artista.

"Faz muito pouco tempo que eu parei de achar que isso é culpa minha, que eu causei isso para mim. Eu sempre tive medo do que as pessoas iam falar: como ela pode ter sofrido isso e hoje ser tão sexual, ser tão aberta, fazer tanta coisa'. Eu não sei. O que eu sei é que eu peguei isso que eu vivi e transformei em uma coisa para me fazer sair por cima, sair melhor", completou.

Larissa (nome verdadeiro da cantora) confessou também que criou a personagem Anitta a partir do caso de estupro: "Para todos vocês que se perguntam de onde nasceu a Anitta. Nasceu daí. Da minha vontade e necessidade de ser uma mulher corajosa, que nunca ninguém pudesse machucar, que nunca ninguém pudesse fazer chorar, magoar. Que sempre tivesse uma saída para tudo. Foi daí. Eu criei essa personagem aí".

A mãe da cantora, Miriam Macedo, e o irmão Renan Machado também falaram sobre quando souberam da agressão vivida por Anitta. "Eu via ela triste de vez em quando, via chateada, mas para mim era as coisas que ela não conseguia", explicou a matriarca. "Faz muito pouco tempo. Ela chamou eu, meu pai e minha mãe para conversar. Ela pediu que a gente nem olhasse para ela. Resolveu botar isso para fora, nos contar", relembrou Renan.

Por meio de nota nas redes sociais, a assessoria de imprensa da cantora afirmou que ela não se pronunciará sobre o assunto. 

Confira o comunicado abaixo:

MeToo apoia cantora

Após a repercussão da revelação de Anitta na série, o Me Too Brasil expressou "solidariedade e apoio" para a artista. "Em seu relato, a cantora traz uma narrativa encontrada em diversos relatos de vítimas que usam os canais do Me Too em todo o mundo: uma situação de constrangimento, abuso psicológico e culpa. O que mostra que a cultura do abuso atua em inúmeras frentes", afirmou o grupo, em comunicado divulgado nesta quarta.

"Sabemos o quanto é doloroso relembrar um episódio de abuso sexual, principalmente quando corrido em uma fase tão importante do desenvolvimento quanto a adolescência. Por isso, o MeToo Brasil reitera a importância da coragem da cantora, que serve de exemplo a todas e todos que passaram por situações semelhantes a procurarem ajuda e a denunciarem, mesmo que o crime já esteja prescrito", prosseguiu.

"O depoimento de Anitta evidencia uma característica do abuso sexual no Brasil, onde a maioria das vítimas são menores de idade e muitos dos agressores são da família ou próximos. A força da cantora ao fazer seu relato mostra a dificuldade enfrentada pelas vítimas, que muitas vezes não têm meios e nem recebem acolhimento. Vocês não estão sozinhas!", completou.

Inspirado no movimento norte-americano que divulgou as denúncias de assédio sexual com poderosos empresários da indústria cinematográfica, como o produtor Harvey Weinstein, a versão nacional do Me Too também manifestou solidariedade a Dani Calabresa, humorista que denunciou Marcius Melhem por abuso sexual.


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
Bolsonaro virou chacota na Globo! Nos Tempos do Imperador coleciona indiretasMitomaníaco, sem noção ou exibido? 5 vezes que Gui Araujo falou demais em A FazendaDe vendedor de pastéis a diretor de cinema: Por onde anda o elenco de Malhação 2008?Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabia

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas