AOS BRASILEIROS

Alfonso Herrera causa confusão com protesto a Trump e se explica: 'Não estou rindo'

REPRODUÇÃO/FOX

Imagem de Alfonso Herrera chegando a um evento da Fox nos EUA

Alfonso Herrera em evento da Fox nos EUA; ator mexicano precisou explicar protesto aos brasileiros

REDAÇÃO - Publicado em 02/06/2020, às 15h29

Alfonso Herrera reagiu a uma declaração de Donald Trump sobre classificar como organização terrorista o grupo Antifa, que vem liderando protestos contra o racismo nos Estados Unidos desde o assassinato de George Floyd, no último dia 25. O ex-RBD escreveu "KKK?" ao repostar a fala do presidente norte-americano e causou confusão entre os fãs brasileiros. Ele precisou explicar que estava se referindo à Klu Klux Klan: "Não estou rindo".

Ao perceber que muitos brasileiros se confundiram e acreditaram que o "KKK" se tratava de uma risada irônica e até de mau gosto, o ator esclareceu: "Brasil! Eu não estou rindo. Não tem nada de engraçado neste tuíte". "A gente não sabe se dá risada, ou se chora", respondeu uma internauta. "Deboche", escreveu outra.

KKK é a sigla para Klu Klux Klan, movimento supremacista branco dos Estados Unidos, que defende ideais reacionários e extremistas como o nacionalismo branco e a anti-imigração, existente desde 1865. Já o grupo Antifa crava lutas contra ideais fascistas, contra o racismo e a xenofobia. Ao ver que Trump quer classificá-los igualmente como uma organização terrorista, o ator mexicano reagiu. Confira:

Apesar de não terem entendido a referência, muitos brasileiros mostraram ter o mesmo posicionamento do ex-Rebelde contra Trump e ainda lamentaram o fato de Jair Bolsonaro ser um admirador dele. "Aqui no Brasil temos um fiel seguidor, ou melhor... Uma marionete", lamentou uma seguidora. Após as explicações do mexicano, os fãs compreenderam o que ele queria dizer.

Veja algumas reações:

Herrera, conhecido internacionalmente por causa da novela mexicana Rebelde e pelo grupo musical RBD, tem se manifestado politicamente há algum tempo. Pelas redes sociais, ele já apoiou movimentos contra o presidente do Brasil, principalmente na época das eleições de 2018.

Protestos contra o racismo nos EUA

O grupo Antifa vem organizando protestos diários em diversas cidades dos Estados Unidos como um pedido de justiça para Floyd, sufocado até a morte por um policial na cidade de Minneapolis, no Estado de Minessota. Algumas das manifestações tiveram confrontos com policiais, enquanto muitas seguiram de maneira pacífica.

As cantoras Ariana Grande e Halsey marcaram presença nas manifestações presenciais com cartazes dizendo "não consigo respirar", frase dita por Geroge antes de perder a consciência. Halsey relatou em suas redes sociais a violência policial mesmo sem nenhum tipo de confusão e mostrou seu hematoma após ser atingida por estilhaços e bala de borracha.

Famosos como Nick Cannon, Jamie Foxx, Emily Ratajkowski, Paris Jackson, Anna Kendrick, Lauren Jaregui e John Cusack também foram às ruas para se manifestar contra o racismo no país.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual próxima reprise da Globo você mais quer ver?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook