TVI

TV portuguesa copia título da Globo e estreia Vale a Pena Ver de Novo

REPRODUÇÃO/TVI E GLOBO

Logotipo da sessão de reprises Vale a Pena Ver de Novo, nas versões da TVI e da Globo

O logotipo português do Vale a Pena Ver de Novo (à esq.) e a versão original, da Globo (à dir.)

REDAÇÃO - Publicado em 28/11/2019, às 05h12

A TVI, terceira colocada de audiência em Portugal, estreou na terça-feira (26) o seu próprio Vale a Pena Ver de Novo. O título, consagrado pela Globo no Brasil desde 1980, também já é utilizado no país pelo Globo Now, canal português da emissora, que opera no sistema de pay-per-view. Além de ter copiado o título da sessão de novelas, a lusitana preparou uma vinheta bem semelhante à brasileira.

O clone do Vale a Pena Ver de Novo surgiu como mais uma iniciativa da rede portuguesa de tentar reconquistar o público perdido nos últimos meses. Em fevereiro, após 150 meses consecutivos, a TVI perdeu a liderança para a SIC, parceira da Globo. Em novembro, está atrás até da RTP1, do governo.

Para estrear a sessão, a TVI apostou em uma dobradinha entre as novelas Belmonte (2013) e Doce Tentação (2012), com 259 e 341 capítulos, respectivamente. As tramas fizeram sucesso em suas exibições originais, e Belmonte chegou a ser indicada para o Emmy Internacional de melhor telenovela --perdeu o troféu para a brasileira Joia Rara (2013).

Procurada pelo Notícias da TV, a Globo informou desconhecer o assunto e disse que sua única parceira portuguesa é a SIC. A TVI, consultada diversas vezes pela reportagem, por telefone e e-mail, não quis se manifestar sobre o tema.

Além da cópia do Vale a Pena Ver de Novo, que vai ao ar entre 14h30 e 16h15 pelo horário local, a emissora também promoveu outras mudanças em sua programação para tentar reverter a queda para a terceira colocação.

No fim da noite, a aposta foi em mais novelas antigas: Louco Amor (2012) e Mundo ao Contrário (2013). Aos domingos, será a vez do Pesadelo na Cozinha voltar ao ar. No início do próximo ano, Big Brother será ressuscitado: o reality show, que teve sua última temporada produzida há seis anos no país, foi o responsável por transformar a emissora em líder em 2000.

A queda da TVI começou em agosto de 2018, após Cristina Ferreira pedir demissão. Ela era a principal apresentadora da rede, na qual estava desde 2002. Considerada uma versão lusitana de Hebe Camargo (1929-2012), Cristina assinou contrato com a SIC e passou a comandar um programa matinal na nova casa.

No ar desde janeiro, O Programa da Cristina é a atração mais sintonizada de toda a televisão portuguesa e foi responsável pela SIC quase triplicar seus índices de audiência. Ele registra média de 35% de share (de cada 100 televisores ligados, 35 ficam sintonizados na SIC), contra 12% de seu antecessor, o Queridas Manhãs.

O Vale a Pena Ver de Novo não é o único programa brasileiro que virou alvo de "inspiração" da TVI. Até mesmo o Jornal Nacional, o noticiário mais conhecido e assistido do Brasil, teve uma cópia portuguesa entre 2000 e 2011, quando foi substituído pelo Jornal das 8.

Você na TV e A Tarde É Sua, da RedeTV!, também são nomes usados pela emissora portuguesa, mas com formatos bem diferentes dos brasileiros. A versão lusitana do show de João Kleber é uma revista eletrônica, enquanto o programa de fofocas de Sonia Abrão dá nome a um debate sobre dramas familiares.

Veja a vinheta do Vale a Pena Ver de Novo da TVI e, em seguida, a versão da Globo: 

Tudo sobre

Globo

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que falta para Amor de Mãe conquistar mais audiência?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook