Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Com Luciano Szafir

Record recicla documentário de 2009 em série sobre sequestros

Reprodução

Policial civil esconde o rosto em cena do documentário Sequestro, de 2009, que virará série na Record - Reprodução

Policial civil esconde o rosto em cena do documentário Sequestro, de 2009, que virará série na Record

PAULO PACHECO

Publicado em 19/3/2014 - 15h29
Atualizado em 21/3/2014 - 6h39

Uma das principais novidades da Record para 2014, na verdade, é um programa reciclado. A Record aproveitará o filme Sequestro, lançado em 2009 e vencedor do Festival de Cinema de Berverly Hills em 2010, e o transformará na série Preço da Vida, com 13 episódios, a ser apresentada pelo ator Luciano Szafir.

Com estreia prevista para segundo semestre, Preço da Vida terá os mesmos sequestros do filme de Wolney Atalla Jr., que também dirigirá a série, e histórias que não foram para o cinema, como o famoso caso do menino Ives Ota, sequestrado e morto aos oito anos, em 1997. São mais de 200 horas de material inédito com a atuação da Divisão Anti-Sequestro (DAS) da Polícia Civil de São Paulo.

Entre os casos apresentados no filme e que estarão na série, estão o sequestro de um rapaz preso durante 42 dias em um tubo de concreto em uma favela de Carapicuíba, na Grande São Paulo, e o de uma garota sequestrada por um policial militar e que depois o reconheceu no metrô.

Assim como o filme, a série mostrará as negociações da polícia com os bandidos e o resgate das vítimas. Também haverá a reconstituição do momento exato do sequestro. "Vamos recriar com atores, mas deixar o mais real possível para não deixar com cara de novela", explica o diretor Wolney Atalla Jr. As gravações começarão após a Copa do Mundo, entre julho e agosto.

O diretor ofereceu o documentário para a Fremantle, que o adaptou para série e vendeu para a Record e o canal pago Discovery. Na Record, entretanto, Preço da Vida será diferente, mais emocional. "No final de cada caso, Luciano Szafir visitará as vítimas para mostrar como se recuperaram do trauma do sequestro", antecipa o diretor.

Luciano Szafir, que já teve experiência como apresentador no Você Decide, da Globo, em 1998, e na própria Record, recebeu o convite por acaso, enquanto conversava com a direção da emissora sobre outro projeto. O ator gravou apenas um piloto exibido durante a apresentação da nova programação da Record à imprensa, na última terça-feira (18).

"Eu estava batendo um papo com a direção sobre outro projeto envolvendo teatro, eles me mostraram a série e perguntaram se eu gostaria de gravar um teste. Foi na semana passada, foi tudo muito rápido, não posso falar sobre os casos porque ainda não começamos a gravar", declara Luciano Szafir.

LEIA TAMBÉM:

Após gafe, apresentador da Record rejeita aplicar botox na testa

Rafinha Bastos cutuca Wanessa e faz mesma piada de Gentili

Globo festeja 50 anos com recorde de programas e história do Brasil

No segundo confronto, Jô Soares vence Gentili e retoma liderança

Jornalista manda apresentador da Record aplicar mais botox

Em decisão histórica, Justiça censura notícias de Big Brother

Jornalistas da Globo protestam contra poeira em obra na redação

Em Família: Cadu desmaia e é levado às pressas para hospital

Além do Horizonte: Vilão morre afogado em areia movediça

Paulo Henrique Amorim chama Fantástico de 'velho cansado'


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
De absorvente usado a café no chão: As maiores nojeiras de A Fazenda 13Bolsonaro virou chacota na Globo! Nos Tempos do Imperador coleciona indiretasMitomaníaco, sem noção ou exibido? 5 vezes que Gui Araujo falou demais em A FazendaDe vendedor de pastéis a diretor de cinema: Por onde anda o elenco de Malhação 2008?Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filme

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas