TRIBUNAL

Pânico contrata 'advogado das estrelas' para se defender de Luana Piovani

J.Humberto/AgNews

Pedro Scooby e Luana Piovani são abordados por Rodrigo Scarpa no Leblon, em 2014 - J.Humberto/AgNews

Pedro Scooby e Luana Piovani são abordados por Rodrigo Scarpa no Leblon, em 2014

DANIEL CASTRO - Publicado em 28/11/2017, às 06h20

Conhecido como o "advogado das estrelas", Sylvio Guerra foi contratado por integrantes do Pânico, programa que ele já processou (e venceu) quando defendia o autor Aguinaldo Silva e o ator David Pinheiro. A primeira missão de Guerra será atuar a favor do apresentador Emílio Surita, de Rodrigo Scarpa (o Repórter Vesgo), do diretor Alan Rapp e do produtor Marcelo Picon em ação movida pela atriz Luana Piovani.

Em 1º de agosto de 2014, Luana estava na praia do Leblon, no Rio de Janeiro, com o marido, Pedro Scooby, quando foi abordada por Scarpa. Ele tentou entregar-lhe um buquê de flores, mas ela reagiu irritada. Nas redes sociais, acusou o programa de "assustar e violentar mentes sem motivos".

O Pânico na Band mostrou o piti de Luana na praia e exibiu uma foto, postada naquela semana pelo marido da atriz, em que ela aparecia nua numa banheira, tomando champanhe.

Luana não gostou e processou o Pânico pela segunda vez _ela já tinha ido à Justiça contra o programa em 2008, quando se sentiu perseguida pela "campanha" Sandálias da Humildade. Quatro meses após a gravação no Leblon, Luana conseguiu na Justiça impedir o Pânico de citar seu nome e de se aproximar dela, sob risco de multa de R$ 300 mil.

Autor de dois livros e advogado de famosos como Susana Vieira e Thiago Lacerda, Sylvio Guerra vai agora tentar a reconvenção, o equivalente no mundo jurídico ao "feitiço que vira contra o feiticeiro".

Ele argumenta que Rodrigo Scarpa tentou abordar Luana Piovani em local público, de forma gentil, entregando-lhe flores, que ela arremessou longe. E que depois diminuiu o humorístico em suas redes sociais.

O processo de Luana Piovani será apenas o primeiro em que Sylvio Guerra deverá atuar defendendo os integrantes do Pânico. Ele já defendeu Rodrigo Scarpa contra o cantor Netinho de Paula.

Guerra, curiosamente, já processou e venceu dois dos seus novos clientes. Em 2014, ele conseguiu na Justiça condenar Alan Rapp, Marcelo Picon e Wellington Muniz a indenizar o autor Aguinaldo Silva em R$ 100 mil por "achincalhá-lo" com o personagem Aguinaldo Senta. A sentença foi confirmada no início deste mês, mas Guerra não é mais advogado de Silva. Eles romperam no meio deste ano e vão se enfrentar na Justiça em breve.

O advogado também moveu a ação que condenou o Pânico a pagar quase R$ 40 mil a David Pinheiro por causa de uma gravação, em 2012, que induziu muita gente a acreditar que o ator havia morrido.

"Eu ganhei todas contra o Pânico. Eles reconheceram e me contrataram", brinca Guerra. 

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook