SUZANA ALVES

Na Record, ex-Tiazinha diz que recusou convites da Globo: 'Não estava empolgada'

MUNIR CHATAK/RECORD TV

Suzana Alves caracterizada como Laila, sua personagem na minissérie bíblica Lia, prevista para junho - MUNIR CHATAK/RECORD TV

Suzana Alves caracterizada como Laila, sua personagem na minissérie bíblica Lia, prevista para junho

GABRIEL PERLINE - Publicado em 23/05/2018, às 06h13

Já se passaram 18 anos desde que Suzana Alves "enterrou" Tiazinha, personagem que virou sex symbol no fim dos anos 1990, e agora ela quer dar um novo rumo a sua carreira. Afastou-se da TV para estudar, construir sua família e se dedicar ao cinema e ao teatro. Antes de ser contratada pela Record, no ano passado, recusou alguns convites para testes em novelas e séries da Globo. "Não estava empolgada", afirma.

"A Globo sempre me chamava para fazer testes para novelas, mas nem sempre eu ia. Na época, estava fazendo muito teatro e cinema. Aí algum produtor da Globo vira e mexe me chamava porque me via em algum filme. Eu ia em alguns testes, não ia em outros. Não estava muito a fim. Quando eu ia, ia pra valer, mas não estava tão empolgada. Estava focada em outras coisas, como a minha família. Estava feliz com a minha rotina e não fazia planos de voltar para a TV naquela época", comenta.

Suzana foi contratada pela Record no segundo semestre de 2017. A princípio, apenas para participar da segunda temporada do Dancing Brasil. Mas a emissora estendeu o compromisso e a reservou para Topíssima, novela de Cristianne Fridman que acabou engavetada. Agora ela está em Lia, minissérie bíblica que substituirá Apocalipse, a partir de junho.

"Tudo tem a sua hora. Senti vontade de voltar para a TV depois do nascimento do meu filho [em julho de 2016]. Antes eu não batalhava para voltar para a TV, mas depois que eu tive o Benjamin tudo mudou. Aí eu me senti mais leve e pronta para voltar", afirma.

O afastamento de Suzana da TV tem a ver com Tiazinha, personagem que mexeu com o imaginário dos marmanjos por alguns anos. Quando quis investir na carreira de atriz, passou a fazer inúmeros testes, mas acabou reprovada por ter seu nome muito associado à mulher mascarada.

"A resistência era mais porque as pessoas rotulam muito e não é só isso. Era difícil para as pessoas aceitarem que eu poderia viver outras personagens. Hoje eu tenho maturidade para entender isso. Não dá para julgar as pessoas que não me deram oportunidades", reflete.

Mulher amarga
Desde o início do mês, Suzana Alves tem se dedicado a Laila, sua personagem na minissérie bíblica Lia, uma mulher ambiciosa, mesquinha e muito dura com as pessoas, mas que passará por uma transformação em seu caráter ao ver o comportamento amoroso de sua filha.

A trama, assinada por Paula Richard, acompanha as trajetórias de Lia (Bruna Pazinato) e Raquel (Graziela Schmitt), mulheres de Jacó (Felipe Cardoso). Suzana interpreta a mãe da personagem que dá nome à produção, e forma par romântico com Theo Becker, intérprete de Labão.

"O Theo é um cara apaixonado pelo que faz e isso contagia a gente. Ele ama atuar e deixa isso muito claro para a gente", comenta.

Leia também

 

+ Lidas

Enquete

O novo Vídeo Show tem chance de sucesso?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook