Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

ENTREVISTA

Márcia Dantas passou noites sem dormir após cobertura no RS: 'Fui instrumento'

REPRODUÇÃO/SBT

Foto de Márcia Dantas durante o Tá na Hora

Márcia Dantas durante o Tá na Hora; jornalista assumiu lugar de Christina Rocha no programa

GABRIELA RODRIGUES

gaby@noticiasdatv.com

Publicado em 10/7/2024 - 14h00

À frente do Tá na Hora, Márcia Dantas encarou um dos momentos mais difíceis de sua carreira durante a cobertura das enchentes no Rio Grande do Sul. A jornalista foi escalada para ir até a região e acompanhar in loco o impacto da tragédia. Após retornar para São Paulo, passou dias chorando e sem conseguir dormir. "Sinto que fui instrumento", reflete. 

Em entrevista ao Notícias da TV, a contratada do SBT comenta sobre como se sentiu ao fazer parte de um momento de grande tristeza para a história do país. No Sul, Márcia conversou com moradores que perderam suas casas e também seus familiares. 

"Cada cobertura deixa uma marca. A do Rio Grande do Sul foi profunda. Primeiro, porque eu vivo cada reportagem, cada entrevista, com muita intensidade. Depois que percebi a dimensão, a repercussão de tudo que relatei, as mudanças positivas, a transformação social, sinto que fui instrumento. É o que o jornalista sempre deve ser."

Nem sempre é fácil, o fardo é enorme e pesado, somos julgados e questionados muitas vezes, mas faz parte. Chorei alguns dias, passei noites sem dormir. Mas depois entendi que faz parte do meu propósito de vida. Não há mudança sem dor. Sigo cumprindo meu papel.

Surpresa na carreira 

Márcia foi escalada para a cobertura do RS menos de um mês após assumir o Tá na Hora no lugar de Christina Rocha. A jornalista se juntou a Marcão do Povo na apresentação do jornalístico depois que a outra apresentadora admitiu não ter interesse em seguir no projeto por falta de identificação. 

"Recebi a notícia numa quarta-feira e comecei a apresentar na quinta. É o tipo de loucura que acontece em televisão que eu adoro! Sou movida a desafios. Mas o Tá na Hora não era uma novidade completa para mim. Eu já conhecia o formato do programa, porque cheguei a fazer um piloto-teste no começo do projeto. Então, eu me joguei, fiz com toda minha alegria e amor, como tudo que faço na vida. E tem dado certo", comenta a comunicadora. 

Posso confessar? Eu sempre sonhei em fazer um projeto assim, que pudesse mostrar minha bagagem jornalística e, ao mesmo tempo, meu lado mais descontraído. É um formato menos engessado. Pouca gente sabe, mas eu tinha colocado esse sonho na minha lista de metas para 2024. Faço todo ano. E mesmo sem nenhuma perspectiva, até então, aconteceu! Minha vida sempre foi assim. Cheia de surpresas.

A jornalista ainda revela que, antes de ser convocada pelo SBT para assumir o programa ao lado de Marcão, já havia recebido um "sinal" sobre a mudança envolvendo sua carreira. 

"O SBT Brasil me elevou de patamar, aprendi muito, mas depois de quase quatro anos, meu coração já pedia outros desafios profissionais. Antes de a mudança acontecer, cheguei a contar para o meu noivo que estava sentindo que viria uma 'maré agitada'. Ele apenas riu. E veio. Primeiro, teve a mudança do SBT Brasil, com a minha ida para a previsão do tempo, eu me joguei e aprendi para fazer da melhor forma possível. Depois, veio o Tá na Hora. Então, todas os degraus até aqui me fizeram criar casca e autoconfiança", completa.

Desde sua estreia ao lado de Marcão do Povo, Márcia tem recebido bastante carinho do público nas redes sociais, mas também precisa lidar com os haters. Ela, no entanto, afirma não se importar muito com ataques. 

"Tem sido mais acolhedor do que eu esperava. Recebo dezenas de mensagens carinhosas diariamente. Elogiam o programa, dizem que encaixei perfeitamente no formato. Sobre as críticas, eu sei filtrar bem melhor do que no começo de carreira. A Márcia de hoje já levou muita 'porrada'. Escolho ouvir quem importa: minha família, amigos próximos, profissionais que admiro. O resto, deixa falar. Não sinto a menor necessidade de ser unanimidade. Morro de medo disso! Todo pedestal é uma prisão", completa. 


Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.