Esquenta

Mãe de dançarino morto critica Regina Casé: 'É uma mentirosa'

Reprodução/TV Globo

Maria de Fátima Silva e Regina Casé no Esquenta em homenagem ao dançarino DG, em abril - Reprodução/TV Globo

Maria de Fátima Silva e Regina Casé no Esquenta em homenagem ao dançarino DG, em abril

PAULO PACHECO - Publicado em 22/11/2014, às 10h06

Maria de Fátima Silva, mãe do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, conhecido como DG, criticou a Globo e, principalmente, Regina Casé, pelo Esquenta especial em homenagem ao filho dela, que trabalhava no programa e foi morto a tiros em abril no Rio de Janeiro. Durante um debate sobre negros no Brasil, na última quinta (20), em Brasília, disse que foi censurada pela emissora e chamou a apresentadora de farsante e mentirosa. O vídeo do debate está na internet.

"A Regina Casé é uma farsa. Ela é uma artista, é uma mentirosa! Mentirosa!", gritou a mãe de DG no evento, sendo aplaudida pela plateia. Ela continuou: "Alguém jogou na minha bolsa uma agenda do programa escrita à mão, na qual dizia: 'Não pode falar que foi a polícia, solta as fotos sensacionalistas para a mãe chorar'. Em nenhum momento, vocês que assistiram ao programa viram a Regina Casé falar de violência, contra a polícia. E toda vez que eu mencionava, era cortada", relembrou.

A mãe de DG revelou prometeu divulgar o conteúdo completo da agenda na internet. A agenda, no entanto, tem uma contradição que leva ao questionamento de sua autenticidade. O texto manuscrito, segundo Maria de Fátima, diz que Regina Casé teria seguido ordens de J.B. Oliveira, o Boninho, para não fazer um programa de "vanguarda", mas "de pobre". Boninho não manda no Esquenta. O diretor de núcleo do programa é Guel Arraes.

Maria de Fátima Silva também reclamou do tratamento que a Globo deu a ela e a sua família antes e depois do Esquenta. "Encurralaram a gente em um cômodo 3x3, trancaram a porta até o início do programa. O único local onde a gente podia circular era o salão de beleza, foram me oferecer unha e cabelo. Eu lá queria saber de fazer unha e cabelo? Eu queria uma solução imediata que esclarecesse a morte do meu filho", recordou.

Procurada, a Globo limitou-se a dizer que as críticas da mãe de Douglas Rafael da Silva Pereira contra a emissora e o Esquenta não procedem. "A Globo entende a dor de dona Maria de Fátima da Silva, mas as afirmações durante o debate do evento Sernegra não têm fundamento. Dona Maria de Fátima teve e tem todo o apoio da Globo e a solidariedade de Regina Casé e sua equipe", afirma a emissora.

Na noite de 21 de abril, o dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, conhecido como DG, foi encontrado morto na comunidade do Pavão-Pavãozinho, no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. As investigações apontam que ele teria sido baleado ao tentar escapar de um tiroteio entre policiais e traficantes.

Em 27 de abril, o Esquenta homenageou o dançarino, com todos vestindo branco. No programa, Regina Casé elogiou a postura de Maria de Fátima Silva e, chorando, mostrou imagens inéditas do filho fazendo uma declaração para a mãe para o especial de Dia das Mães, que ainda não tinha ido ao ar, levando-a aos prantos.

Assista ao desabafo de Maria de Fátima Silva contra a Globo e Regina Casé (a partir de 2h04min):


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Tudo sobre

Globo Regina Casé

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Na casa de que famoso você passaria a quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook