Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Aula de roteiro

Inovadora, Plantão Médico ensinou americanos a comer e salvou vidas

Fotos: Divulgação/NBC

George Clooney como o médico mulherengo Doug Ross de Plantão Médico, papel que o lançou ao estrelato - Fotos: Divulgação/NBC

George Clooney como o médico mulherengo Doug Ross de Plantão Médico, papel que o lançou ao estrelato

DANIEL CASTRO

Publicado em 23/11/2014 - 6h35

Série que dominou a televisão americana nos anos 1990, com prêmios e recordes de audiência, Plantão Médico (ER) teve vários méritos. Tinha uma narrativa tensa, que mostrava várias ações simultâneas em um pronto-socorro de Chicago, inovou na linguagem de TV antes da explosão da HBO e dos canais a cabo, abriu um filão para produções médicas e revelou astros como George Clooney e Julianna Margulies.

Na última quarta-feira, em palestra em São Paulo, David Zabel, um dos produtores-executivos da série, acrescentou mais alguns feitos: Plantão Médico ensinou os norte-americanos a comer melhor porque as pessoas seguiam as dicas que os médicos bonitões da série davam a seus pacientes. Zabel diz ter recebido dezenas de cartas e e-mails de telespectadores que passaram a cuidar da alimentação depois de assistirem ao drama de um cardiopata.

ER também salvou vidas ao estimular exames preventivos. Uma mulher do Texas descobriu precocemente um tumor porque teve os mesmos sintomas do médico Mark Greene (Anthony Edwards), um dos protagonistas da produção, que morreu de câncer no cérebro, em uma das histórias mais emocionantes das 15 temporadas da série, exibida entre 1994 e 2009 pela rede NBC (no Brasil, foi ao ar pela Globo nos anos 1990, pelo SBT na década de 2000 e pelos canais pagos Sony e Warner).

Em um teatro da zona oeste de São Paulo, Zabel deu uma aula (masterclass) para uma plateia composta basicamente de roteiristas e aspirantes a escritores de televisão, na segunda edição do NetLabTV, concurso de roteiros da operadora Net. Discorreu basicamente sobre o porquê de Plantão Médico ter se sustentado com sucesso durante tanto tempo.

"Plantão Médico foi muito bem-sucedida porque tinha um pronto-socorro caótico e uma mescla de personagens interessantes, com drama e comédia. Não era uma novela, como Revenge. Era um programa híbrido de 'serializado' com 'episódico'. Nós seguíamos várias histórias. Havia sempre seis coisas acontecendo ao mesmo tempo e isso prendia a atenção do público", sintetizou Zabel.

O roteirista acrescenta três fatores fundamentais. Sustenta que Plantão Médico tinha relevância, ressonância e qualidade. Era relevante porque tratava de temas polêmicos e atuais, como pena de morte e homossexualidade, se alimentava de histórias nas manchetes dos jornais. "O público sentia que estávamos dando coisa nova, importante", lembra.

Plantão Médico tinha ressonância, de acordo com Zabel, porque falava "do dia a dia das pessoas", tocava o telespectador comum com dramas próximos de sua realidade.

David Zabel e a atriz Hannah Ware em evento nos Estados Unidos em 2013 (Foto: Divulgação)

Zabel classifica Plantão Médico de "trauma drama" e revela que apelava a "truques ritmicos" para prender o público. "Havia um senso de caos no programa", diz, se referindo às ações secundárias paralelas às primárias. Lembrou que quando Ross (personagem de George Cslooney) deixou a série para interpretar Batman, após protagonizar um episódio visto por 48 milhões de americanos, o pano de fundo era o suicídio assistido, enquanto o principal era o que acontecia com o médico galã.

Para ficar tanto tempo no ar, Plantão Médico teve que contar com participações especiais, como a de Sally Field, que ganhou um Emmy por sua atuação como uma mulher bipolar. A série deixou o pronto-socorro, foi parar no Iraque e até na África. "Plantão Médico não tinha uma estrutura narrativa única. Nós nunca tinhamos uma ordem de como seria o episódio. Não tínhamos uma fórmula", afirmou.

A seguir, confira cinco curiosidades sobre Plantão Médico:

Julianna Margulies e George Clooney; atores viveram par romântico na série

Fábrica de estrelas

Plantão Médico revelou grandes atores. Um deles foi Julianna Margulies, atualmente protagonista de The Good Wife, vencedora do Emmy de melhor atriz em série dramática neste ano. Foi também o primeiro trabalho de destaque de George Clooney, no papel do médico mulherengo Doug Ross. Enquanto atuava em Plantão Médico, Clooney iniciou a bem-sucedida carreira no cinema com Um Drink no Inferno (1995), deixou a série para interpretar Bruce Wayne na superprodução Batman & Robin (1997) _e voltou depois. Plantão Médico também revelou Noah Wyle, ator principal de Falling Skies.

Julianna Margulies com o Emmy de melhor atriz coadjuvante em série dramática de 1995

Recorde de prêmios

Em 15 temporadas, Plantão Médico recebeu 124 nomeações para o Emmy, recorde entre as séries de TV. Venceu 22 vezes. As principais conquistas foram o prêmio de melhor atriz coadjuvante em série dramática em 1995 para Julianna Margulies e o troféu de melhor série dramática em 1996. Na segunda cerimônia mais importante da TV, o Globo de Ouro, Plantão Médico levou apenas uma estatueta em 26 indicações: Anthony Edwards,como melhor ator em série dramática em 1998.

Elenco original de Plantão Médico em foto promocional da primeira temporada, de 1994

Fãs protestam contra a Globo

Em 1997, a Globo deixou de exibir Plantão Médico, que apresentava às quintas-feiras, depois da novela das oito, e colocou no lugar o teledrama interativo Você Decide. A decisão gerou protestos. Telespectadores usaram a internet, ainda uma novidade, para criar um site em que pediam a volta da série. O site está no ar até hoje (Alô Rede Globo, queremos Plantão Médico de novo). Foi um dos pioneiros nesse tipo de reivindicação.

A atriz Sally Field em cena da sétima temporada de Plantão Médico, em que fez uma bipolar

Participações mais do que especiais

Plantão Médico também foi palco de dezenas de partipações especiais, algumas delas luxuosas. Passaram pelo programa astros como Danny Glover, Kirsten Dunst, Lucy Liu, James Belushi, Susan Sarandon, William H. Macy, Don Chaedle e Forest Whitaker, entre outros. As participações também renderam indicações para o Emmy, e dois atores levaram a estatueta para casa de melhor ator convidado em série dramática: Sally Field, em 2001, e Ray Liotta, em 2005, como um alcoólatra que se arrependia de ter desperdiçado a vida.

George Clooney segura garoto em cena do episódio de maior audiência da série, em 2005

Líder de audiência

Plantão Médico foi o programa de TV mais assistido dos Estados Unidos durante três anos. No auge da série, entre a primeira e sétima temporada, a média de audiência por episódio era de 24 milhões de telespectadores. O recorde de público aconteceu em 1995, no sétimo episódio da segunda temporada, com 48 milhões de telespectadores. Nesse dia, a série saiu do pronto-socorro e o personagem de Clooney, Doug Ross, salvou uma criança de um bueiro durante uma tempestade. Ele virou herói após uma rede de TV mostrar o resgate, gravado de um helicóptero.


Colaborou JOÃO DA PAZ


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?