Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

JADE CATTA-PRETA

Comediante brasileira faz sucesso zoando a TV dos Estados Unidos

Divulgação/E!

Jade Catta-Preta segura lata de sopa cenográfica para divulgar o programa The Soup, do canal pago E!

A brasileira Jade Catta-Preta em foto de divulgação do novo The Soup, humorístico do canal E!

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 21/3/2020 - 5h52

Brasileira e homossexual, Jade Catta-Preta superou várias adversidades para chegar a um dos postos da TV americana mais desejados por comediantes: desde 12 de fevereiro, ela está à frente do The Soup, humorístico do canal pago E! que pega trechos de programas gringos para fazer piada. Antes dela, já passaram pela atração nomes como Aisha Tyler (de Friends), Joel McHale (Community) e Hal Sparks (Queer as Folk).

"Eu levo para o The Soup não só a perspectiva de uma mulher, gay e imigrante, mas de alguém que é fã desses programas, então espero que isso transpareça na tela para o público", valoriza a atriz de 36 anos, que tem no currículo participações em séries como Modern Family, Future Man e Californication (2007-2014).

Exibida semanalmente, a atração de Jade exibe momentos bizarros da TV americana, como declarações surreais de participantes de reality shows, tira frases de contexto ou simplesmente zoa atuações ruins em telefilmes de gosto duvidoso. É uma mistura de Isso a Globo Não Mostra com o Top Five, do CQC (2008-2015). "Fico bem empolgada em falar de TV, porque é algo que eu já faço normalmente, não consigo nem acreditar que estão me pagando para isso", celebra ela.

A humorista foi bombardeada por críticas quando o E! revelou que ela seria a nova âncora do The Soup --o programa estava fora do ar desde 2015, ano em que o queridinho Joel McHale o deixou após 11 anos para se dedicar ao cinema. Acostumada a enfrentar a desconfiança dos norte-americanos por causa de sua origem latina, ela tirou os ataques negativos de letra.

"Quando o meu nome vazou, algumas pessoas ficaram chateadas porque são muito fãs do Joel, como eu também sou. Agora que o programa está no ar [nos Estados Unidos], a reação tem sido bem mais positiva, tenho recebido muito apoio. Acho que perceberam que eu estou fazendo a minha versão do Soup, que não quero roubar o emprego de ninguém, sabe?", minimiza a brasileira de 36 anos.

Jade admite que tinha uma ligação com o The Soup desde muito antes de ser cotada para assumi-lo. "Eu era muito fã quando jovem, me mudei para os Estados Unidos quando tinha 12 anos e ver TV me ajudou a aprender inglês", lembra.

Xuxa na TV gringa?

Com liberdade para escolher boa parte da equipe de seu programa e para decidir as pautas de cada edição, Jade Catta-Preta revela que tem uma convidada dos sonhos para levar ao semanal. "Toda celebridade é bem-vinda ali, mas quero muito levar a Xuxa. Ninguém nos Estados Unidos ia entender nada, mas seria incrível para mim", confessa a humorista, que também quer aprender a rebolar com Shakira.

A escolha por duas celebridades da América Latina não é mera coincidência. Afinal, o programa estreará por aqui em 1º de abril, às 22h, e Jade quer conquistar o público de seu país.

"Talvez eu seja um pouco demais para os americanos, porque nós latinos usamos muito as mãos para falar, somos muito fogosos... Acho que eu trago um pouco desse tempero sul-americano. Então espero que os brasileiros gostem, ver alguém que se parece com eles na TV é importante", valoriza.

Ela também tem vontade de estreitar os laços com o país onde nasceu. Por aqui, ela foi apadrinhada por Rafinha Bastos (que decidiu fazer shows de comédia nos EUA). Suas primeiras experiências nos palcos nacionais, no entanto, não foram tão positivas quanto as apresentações bem-sucedidas em Los Angeles e Nova York.

"No ano passado fui ao Brasil e comecei a fazer stand-up em português, o que foi muito difícil porque eu não falava o idioma há tanto tempo (risos). Mas eu tenho muito orgulho de minha origem, sinto que represento o Brasil nos Estados Unidos, e até me emociono quando penso nisso", diz Jade.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?