Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

BAHIA BRANCA

João Emanuel Carneiro admite erro por poucos negros em Segundo Sol: 'Aprendi'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Close do rosto do autor João Emanuel Carneiro em entrevista para o Conversa com Bial: ele usa óculos e camiseta preta

João Emanuel Carneiro em entrevista para o Conversa com Bial: autor admitiu erro em novela

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 17/10/2020 - 13h45

Em entrevista para o Conversa com Bial nesta sexta (16), João Emanuel Carneiro admitiu que errou ao não ter escalado mais atores negros para a novela Segundo Sol (2018). Na época da exibição do folhetim, o Ministério Público do Trabalho da Bahia notificou a Globo pela baixa representatividade de pessoas negras no elenco. A trama era ambientada no Estado.

"Você achou saudável?", perguntou o jornalista Pedro Bial para o escritor sobre a notificação. Em razão da comemoração dos 70 anos da televisão brasileira, o programa entrevista figuras importantes que fizeram parte do audiovisual televisivo.

"Eu acho que tá certo. Tem que dar voz aos negros, fazer a novela com mais atores negros. E nesse evento aí, nessa ocasião do Ministério Público no Segundo Sol, eu aprendi. Acho que foi uma lição pra mim. Eu penso em fazer novelas diferentes também", admitiu o novelista.

Na época de sua exibição, a "Bahia branca" de Segundo Sol foi criticada pelo público e virou motivo de piadas nas redes sociais. Após a notificação do Ministério Público do Trabalho, João Emanuel passou a escalar negros para papéis secundários e transitórios, além de figurantes.

Entenda o caso 

Antes mesmo de Segundo Sol estrear, o Ministério do Trabalho da Bahia notificou a Globo pela falta de representatividade de negros na trama. A história de João Emanuel Carneiro era ambientada no estado e foi norteada pela suposta morte do cantor de axé Beto Falcão (Emilio Dantas) em um acidente de avião.

Além do protagonista, outros personagens principais baianos como: Luzia (Giovanna Antonelli), Karola (Deborah Secco), Laureta (Adriana Esteves) e Remy (Vladimir Brichta), foram retratados por atores brancos.

O documento do Ministério do Trabalho também descrevia 14 medidas que a emissora pudesse adotar para promover maior inclusão de atores negros na trama. "Decidimos expedir essa nota com o fim de mostrar a importância de a empresa respeitar a diversidade racial", declarou, na época, a coordenadora Nacional de Combate à Discriminação no Trabalho, Valdirene Silva, em entrevista à Agência Brasil. 


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você já tem seu favorito em A Fazenda 12?