Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

ASSUNTO DO JN

Globo contrata advogados na Itália para cobrar agressão em evento com Bolsonaro

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Ana Luíza Guimarães na edição desta terça-feira (2) do Jornal Nacional; a bandeira da Itália está ao fundo

Ana Luíza Guimarães na edição desta terça-feira (2) do Jornal Nacional: Globo cobrou Bolsonaro

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 2/11/2021 - 21h33

Após o correspondente Leonardo Monteiro ter sido agredido por um segurança que protegia o presidente Jair Bolsonaro durante um passeio em Roma, a Globo contratou advogados na Itália para apurar o caso. A informação foi confirmada pela emissora na edição desta terça-feira (2) do Jornal Nacional. A agressão aconteceu no domingo (31).

"No dia da agressão aos jornalistas, a Globo e outros veículos, além de entidades de classe, divulgaram nota de repúdio às agressões exigindo a apuração dos fatos. A Globo contratou serviços jurídicos na Itália para que o caso seja acompanhado", informou o âncora Hélter Duarte.

Antes de relembrar a agressão, o Jornal Nacional mostrou uma reportagem com dados de um relatório da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) sobre "Ameaças que silenciam: tendência na segurança de jornalistas". Somente em 2020, 62 jornalistas foram assassinados por motivos relacionados a seu trabalho.

Ainda segundo a entidade, nove em cada 10 assassinatos de jornalistas ficam impunes. O noticioso entrevistou Irene Khan, relatora especial da ONU sobre liberdade de opinião e expressão. A autoridade afirmou que há uma responsabilidade particular do presidente do Brasil em defender os direitos humanos internacionais.

A Globo mostrou um documento assinado por 48 países que fazem parte da coalizão pela liberdade da mídia. Nações como Argentina, Estados Unidos, Portugal, França e Alemanha estão entre os apoiadores da iniciativa. O Brasil não assinou e se recusou a dar explicações sobre o motivo.

"Nós indagamos o Palácio do Planalto sobre as críticas da representante da ONU e sobre o motivo de o Brasil não fazer parte da coalizão da liberdade de imprensa. Mas não obtivemos resposta", disse Ana Luíza Guimarães na bancada do Jornal Nacional.

No domingo, em um editorial publicado após a agressão aos jornalistas em Roma, a Globo condenou as atitudes do presidente e do segurança contra Monteiro. Confira o posicionamento da emissora, na íntegra:

"A Globo condena de forma veemente a agressão ao seu correspondente Leonardo Monteiro e a outros colegas em Roma e exige uma apuração completa de responsabilidades.

Quem contratou os seguranças? Quem deu a eles a orientação para afastar jornalistas com o uso da força? Os responsáveis serão punidos? A Globo está buscando informações sobre os procedimentos necessários para solicitar uma investigação às autoridades italianas.

No momento, ficam o repúdio enfático, a irrestrita solidariedade a Leonardo Monteiro e demais colegas jornalistas de outros veículos e uma constatação: é a retórica beligerante do presidente Jair Bolsonaro contra jornalistas que está na raiz desse tipo de ataque.

Essa retórica não impedirá o trabalho legítimo da imprensa. Perguntas continuarão a ser feitas, os atos do presidente continuarão a ser acompanhados e registrados. É o dever do jornalismo profissional. Mas essa retórica pode ter consequências ainda mais graves. E o responsável será o presidente."


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Sim, as histórias estão se repetindo
17.87%
Cansei de Juma e José Lucas!
31.99%
Não, a novela continua boa
24.76%
Não assisto Pantanal
25.38%

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.