PERRENGUE

Fábio Porchat é perseguido no aeroporto e ganha 'plateia' para usar o banheiro

REPRODUÇÃO/GNT

Imagem de Fábio Porchat em cenário do programa Que História É Essa, Porchat?, da GNT

Fábio Porchat relembrou situação desconfortável no Que História É Essa, Porchat? desta terça (15)

REDAÇÃO - Publicado em 16/10/2019, às 08h37

Fábio Porchat contou que já foi perseguido por fãs a caminho do banheiro em um aeroporto e, por conta disso, acabou ganhando uma plateia para fazer o número dois. Devido à popularidade do Que História É Essa, Porchat?, exibido pelo canal GNT, várias pessoas o reconheceram e queriam compartilhar suas histórias, então ficaram do lado de fora, para esperá-lo sair. "Foi a primeira vez que eu caguei [sic] com torcida", brincou.

O apresentador falou da situação inusitada durante a a abertura de seu programa, exibido na noite de terça-feira (15) na TV paga. "Eu tava indo ao banheiro, meio apertado, vi uma muvuquinha vindo ali e entrei. Mas eu não tinha ido para um número um, eu fui para um número dois mais violentinho", começou Porchat, fazendo todos rirem. 

O comediante disse que conseguia ouvir as pessoas do lado de fora do banheiro torcendo para que ele não demorasse muito lá dentro. "Foi bem interessante", finalizou o titular do Que História É Essa, Porchat?, que ressaltou o desconforto com a situação. 

Anteriormente, o apresentador tinha pedido para que as pessoas enviassem suas histórias boas para contar no programa, que tem como proposta ser uma roda de conversa entre famosos e plateia. Ao longo da atração, todos vão compartilhando suas histórias pessoais, com relatos engraçados ou curiosos. 

Bruna Surfistinha agredida

Na edição de ontem, as atrizes Maria Clara Gueiros, Deborah Secco e o cantor Mumuzinho foram os convidados de Fábio Porchat. Deborah relembrou da época em que gravava o filme Bruna Surfistinha (2011) e contou que chegou a ser agredida por uma mulher por estar vestida como prostituta.

A intérprete de Bruna contou detalhes de uma preparação "nada convencional" para o filme dirigido por Marcus Baldini. O elenco fez uma vivência da história de Raquel Pacheco (a verdadeira Bruna Surfistinha) sem câmeras e sem seguir um roteiro certo. A ideia era que todos entrassem no personagem de forma mais autêntica. 

Em um dos dias de ensaio, Deborah Secco saiu vestida como garota de programa, usando roupas muito curtas e maquiagem exagerada. Por não ser reconhecida, a atriz acabou agredida por uma mulher, que estava indignada por ela ser "uma puta". 

Na ocasião, Deborah andava na rua até ser abordada pelo ator Sergio Guizé, que interpretou o irmão adotivo de sua personagem no filme. Seguindo a ideia de ensaio, ele começou a atacá-la --assim como é mostrado no longa-metragem. 

"Ele começou a gritar comigo, e eu não sei o que deu em mim, fiquei assustada de verdade, comecei a correr, louca. Acabei entrando em um bar, chorando, mas aí a dona do lugar começou a me bater e me xingar", começou Deborah. 

A mulher desconhecida dizia que ela era muito bonita e jovem para ser uma prostituta, e que tinha que tomar jeito na vida. "Ela me batia, dava vários tapas, e ameaçava chamar a polícia", completou Deborah. "Até a gente explicar que era só uma preparação para gravar um filme, demorou muito", finalizou a atriz. "Eu tô um pouco assustado", comentou Mumuzinho, aos risos. 

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual reprise da Globo você mais quer ver?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook