Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

BARRIGA

Erramos: Justiça não fará leilão para pagar dívida de Valdemiro Santiago com TV

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Valdeiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, com um chapéu de caubói e apontando para o lado esquerdo

Valdemiro Santiago: Justiça não fará leilão para pagar dívida com TV que já abrigou a Loading

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 26/4/2022 - 15h24

O Notícias da TV errou ao informar, no último domingo (24), que o Grupo Spring pediu à Justiça o leilão de uma sede da Igreja Mundial do Poder de Deus (IMPD), de Valdemiro Santiago, para pagar uma dívida de R$ 71 milhões. O pedido foi feito por um outro credor do pastor evangélico. A Spring poderia se beneficiar da situação, mas existe um acordo extrajudicial entre IMPD e a dona do canal 32 de São Paulo.

O leilão do imóvel foi pedido pela empresa Guima, especializada em reparos técnicos de edifícios. A dívida da IMPD com a empresa é de R$ 503 mil. O imóvel que pode ser arrematado no dia 10 de maio tem 46 mil metros quadrados e fica no bairro de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo.

O local foi inaugurado em 2014 como a grande aposta de Santiago para aumentar sua arrecadação. Além do templo, o edifício tem um setor administrativo com cinco pavimentos, piscina e estacionamento para 813 carros e 162 motos. O imóvel está avaliado em R$ 193,5 milhões, conforme seu edital.

De acordo com Dennis Munhoz, advogado da Igreja Mundial, a Spring foi apenas notificada em relação ao leilão por ser uma das 23 credoras atuais de Valdemiro Santiago na Justiça. "Nós temos um acordo com o Grupo Spring, ao qual pagamos mensalmente e ele está em dia", afirma Munhoz. 

Ainda conforme o advogado, a dívida que estava em R$ 71 milhões já foi reduzida para R$ 40 milhões. "Conseguimos reduzir o valor e vamos continuar honrando os compromissos", conclui. 

Segundo Marcos Poliszezuk, sócio-fundador do Poliszezuk Advogados e especialista em execuções de dívidas pela Justiça, foi dada para a Spring a oportunidade de cobrar na Justiça sua dívida. Quando um leilão é feito e o valor arrecadado supera a dívida com a empresa que o pediu, outros credores podem se beneficiar disso.

"Quando um bem de determinado devedor é levado a leilão numa ação judicial (execução) e porventura houver outros credores com ações em andamento ou créditos que também já se encontram em fase de serem penhorados, a nossa legislação permite que se realize um único leilão para que o valor arrecadado nesse leilão seja dividido com os demais credores", disse ele.

"Por haver vários credores, a legislação divide ainda a ordem de pagamento em classes de créditos, e se os credores se encontrarem na mesma classe, a preferência será de quem chegou primeiro, ou seja, de quem realizou a penhora primeiro", afirmou Poliszezuk. 

No entanto, como tem um acordo com a IMPD, a Spring não vai pedir essa execução, segundo Dennis Munhoz. Inclusive, até mesmo o leilão do dia 10 de maio pode ser suspenso. "Estamos em negociações por um acordo com a Guima", informou.

Desde a semana passada, a reportagem tenta entrar em contato com o Grupo Spring, por telefonemas e e-mail, mas não obteve êxito.

O Notícias da TV pede desculpas aos seus leitores. O texto original foi retirado do ar. 


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas