Terror falho

Era pra assustar? 5 atrações macabras que deram mais vexame do que medo

Divulgação/Record

Cena do primeiro episódio de Terrores Urbanos, do Playplus, sobre a lenda da Loira do Banheiro - Divulgação/Record

Cena do primeiro episódio de Terrores Urbanos, do Playplus, sobre a lenda da Loira do Banheiro

REDAÇÃO - Publicado em 18/10/2018, às 05h43

Ao longo das décadas, as produções de terror das emissoras de TV aberta brasileiras se destacaram por uma característica em comum: a incapacidade de serem levadas a sério pelo telespectador. Com atores caracterizados como monstros, vampiros ou possuídos pelo demônio, as atrações macabras não conseguem chegar a um bom nível de qualidade e geram mais constrangimento do que medo.

No último dia 10, estreou no PlayPlus, serviço de streaming da Record, uma série que é a nova expoente do terror (tosco) brasileiro. Com cinco episódios, Terrores Urbanos retrata lendas que metem medo em crianças, mas que adultos já não levam mais a sério há muito tempo, como a Loira do Banheiro, a Gangue do Palhaço e o Homem do Saco.

Há dois anos, a Globo exibiu o fiasco Supermax, série confusa e bizarra. Nos anos 1990, a Record teve minisséries que misturavam terror e religião, com efeitos especiais trash, como A Filha do Demônio e Olho da Terra.

Relembre cinco séries macabras que só assustaram pela bizarrice:

reprodução/Record

Patrícia de Sabrit em cena de A Filha do Demônio; personagem era possuída por forças do mal

A Filha do Demônio (1997)
A Record marcou a estreia de suas produções bíblicas com um satanismo trash. A Filha do Demônio fez parte de uma leva de minisséries inspiradas em relatos dos fiéis da Igreja Universal. A trama contava a história de Ana (Patrícia de Sabrit), uma garota cuja alma foi vendida para o demônio por seu próprio pai, Mário (Luiz Carlos de Moraes), por US$ 100 mil.

Em sua jornada infernal, A Filha do Demônio chamou a atenção para cenas tão chocantes quando bizarras: a minissérie mostrou um bebê coberto por minhocas e vermes, uma garota matando um cachorro e bebendo o sangue do animal e o diabo sugando o sangue de uma moça "morta" em um ritual (mesmo supostamente sem vida, a intérprete continuava respirando normalmente).

Dois dias após a estreia, o escritor Marcelo Rubens Paiva publicou no jornal Folha de S.Paulo uma crítica na qual exaltava o fator trash: "Filha do Demônio é tão ruim que é ótima. Os cenários são escarnecidos, os efeitos especiais, grotescos, os diálogos, impagáveis. Habituado a um padrão de novela de alta qualidade e rotatividade, o telespectador brasileiro está à frente de um dilema: isso é para ser levado a sério?".

reprodução/Record

Trecho da abertura de Olho da Terra, cuja trama fazia muitas referências à magia negra

Olho da Terra (1997)
Da mesma leva de A Filha do Demônio veio Olho da Terra. O destaque da trama era para a magia negra e os trabalhos de macumba. A grande vilã era Sara (Arlete Montenegro), uma mulher que descobriu a traição do marido, Joel (Roberto Pirilo), com uma mulher mais pobre, que estava grávida. Sara mandou matar a adúltera, e a filha dela, Branca (Valéria Alencar), cresceu sem saber quem eram seus pais.

Já adulta, Branca se apaixonou por Marcelo (Alexandre Frota), filho de Sara e Joel. Para acabar com a relação incestuosa, Sara recorreu a macumbas para tirar Branca do caminho. A jovem só conseguiu ter paz após a chegada de um evangélico.

reprodução/tv Globo

O ator Francisco Milani em cena do primeiro episódio de Casa do Terror, programa da Globo

Casa do Terror (1995)
Na década de 1990, a Globo tentou, de propósito, fazer um tipo de atração de terror que despertasse risadas no telespectador. Só que nenhum dos dois gêneros funcionou muito bem. Casa do Terror tinha como inspiração o nome de uma sessão de cinema, o estilo de atuação de teatro, as obras de Stephen King e o tipo de humor utilizado no TV Pirata (1988-1992).

O primeiro episódio mostrava um casal fanático por sadomasoquismo. Em uma sessão de tortura, o marido acabou morrendo. A mulher, então, se casou com o vizinho. Anos depois o morto voltou para o lar disposto a se vingar e acompanhado de um grupo de zumbis.

Mesmo com investimento em efeitos especiais, a audiência foi baixa, e o programa perdeu feio para o SBT (que no mesmo horário exibia o Topa Tudo por Dinheiro). A série foi tirada do ar bem antes do esperado. Teve apenas dois episódios.

divulgação/tv Globo

Os atores Erom Cordeiro, Mariana Ximenes, Fabiana Gugli e Cleo nas gravações de Supermax

Supermax (2016)
Primeira série de terror intenso da Globo, Supermax começou com ares de reality show, mas as mortes estranhas e o surgimento de seres sobrenaturais no presídio em que estavam os personagens deixaram telespectadores sem entender nada.

O cativeiro macabro não prendeu a atenção, e os atores não conseguiram segurar a história sem pé nem cabeça. Na reta final, a produção derrubava pela metade o ibope de Nada Será Como Antes. Terminou como a pior audiência da história dos seriados da Globo. Teve menos público até do que a americana Lista Negra.

divulgação/Record

O personagem do ator André Mattos virava vampiro em Os Mutantes - Caminhos do Coração

Os Mutantes - Caminhos do Coração (2008)
Única novela na lista, Os Mutantes surgiu com o propósito de contar a história de amor entre uma artista de circo e um policial, mas aproveitou o sucesso da série Heroes (2006-2010) para colocar seus próprios heróis e vilões na trama, em cenas de terror (e humor) involuntário.

A novela teve personagens macabros como um vampiro, Mulher-Aranha, Homem-Cobra, Rainha Formiga (e seus formigões), Homem-Gelo, Mulher-Zumbi e o incrível Pesadelo. Interpretado por Felipe Adler, seus poderes envolviam invadir a mente das pessoas e matá-las com seus piores pesadelos (livremente inspirado em Freddy Krueger, da franquia A Hora do Pesadelo).

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Que castigo Isabel merece no final de Espelho da Vida?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook