Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

HERÓI SEM RUMO

Cego e agora surdo, Demolidor chega ao fundo do poço em nova temporada

Fotos: Divulgação/Netflix

Matt Murdock (Charlie Cox) luta boxe com o corpo todo remendado na nova temporada de Demolidor - Fotos: Divulgação/Netflix

Matt Murdock (Charlie Cox) luta boxe com o corpo todo remendado na nova temporada de Demolidor

LUCIANO GUARALDO, em Nova York

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 18/10/2018 - 5h15

[Atenção: este texto contém spoilers]

Na terceira temporada de Demolidor, que estreia nesta sexta (19) na Netflix, Matt Murdock (Charlie Cox) vai chegar ao fundo do poço. Além de cego, ele agora está temporariamente surdo. Sem dois de seus sentidos, ele perde suas habilidades de percepção e luta e vai apanhar feio dos vilões em seu caminho.

Os novos episódios começam exatamente após o fim da minissérie Os Defensores, com Matt sobrevivendo à explosão do prédio da Midland Circle e sendo levado a um convento para receber cuidados das freiras. Gravemente ferido e com a audição prejudicada, ele decide esconder de todos os amigos que está vivo.

A derrocada de Murdock na nova fase surpreendeu até mesmo seu intérprete. "Quando recebi os roteiros da primeira temporada, percebi que Matt era um homem que parecia estar no fundo do poço. Mas aí veio a segunda temporada e ele caiu um pouco, depois ainda mais em Defensores... Agora já entendi que Matt é um sujeito que nunca vai parar de afundar", contou Charlie Cox ao Notícias da TV.

O processo de recuperação do herói envolve uma personagem que os fãs dos quadrinhos vão gostar de ver na televisão. A freira que cuida de Murdock é a irmã Maggie (Joanne Whalley), que tem um histórico com o herói desde criança _nas HQs, ela também é a mãe biológica do advogado cego.

Para Erik Oleson, que assumiu o cargo de showrunner da terceira temporada após passagens por The Man in the High Castle e Arrow, a freira tem um papel maternal diante do herói. "A irmã Maggie é o compasso moral e espiritual de Matt. Ela o ajuda a avaliar tudo o que ele passou nos anos anteriores", justificou.

"Eu nunca tinha lido um gibi na minha vida. Confesso que, quando fechei contrato para a série, esperava algo bem diferente do que recebi. Algo que talvez não seria bom", admitiu Joanne Whalley, aos risos.

"Mas fui surpreendida pela qualidade dos textos e pelo elenco. Nunca vi atores tão apaixonados pelo seu trabalho nem fiquei tão ansiosa e empolgada para receber os próximos roteiros."

Wilson Fisk (Vincent D'Onofrio) volta à ativa, agora repetindo o terno branco dos quadrinhos

Busca pela humanidade
Erik Oleson é o quarto produtor a assumir a chefia da série ao longo de suas três temporadas: o primeiro ano foi comandado por Steven S. DeKnight e o segundo, pela dupla Doug Petrie e Marco Ramirez. Disposto a dar sua visão para um produto já estabelecido, o novato fez questão de buscar a humanidade de todos os personagens, até mesmo do vilão Wilson Fisk (Vincent D'Onofrio).

"Eu sou fã de dramas que tratam cada personagem como o herói de sua própria jornada. Se a série fosse focada em Fisk, e não em Matt, teríamos um ponto de vista totalmente diferente. Convenhamos que Fisk estava muito confortável em sua posição [no submundo do crime] até Murdock surgir e atrapalhar tudo", disse Oleson.

Fisk, conhecido pelos fãs como o Rei do Crime, volta a ter uma posição de destaque no terceiro ano após ser jogado para escanteio na temporada anterior. Disposto a salvar a vida de sua amada, ele topa colaborar com o FBI e entregar criminosos perigosos. Transferido do presídio para uma "cela de luxo" em um hotel caríssimo, Fisk desperta a fúria da opinião pública, que quer vê-lo de novo atrás das grades.

Entre os revoltados, estão a jornalista Karen Page (Deborah Ann Woll) e o advogado Foggy Nelson (Elden Henson). Incapazes de lidar com a "morte" de Murdock, os melhores amigos do herói mergulham fundo no trabalho e fazem de tudo para manter o arqui-inimigo do Demolidor na cadeia. "Acredito que a imprensa e a lei são as únicas formas de combater a tirania", apontou Erik Oleson.

Poindexter (Wilson Bethel, de pé) confronta Fisk: transformação em vilão adorado pelos fãs

Entra em cena o Mercenário
Mesmo com a proposta de abordar a humanidade de todos os personagens, a terceira temporada de Demolidor não abre mão da ação. As cenas de luta e tiroteio ganham muitos pontos com a entrada de Ben Poindexter (Wilson Bethel), agente do FBI que cruza o caminho de Fisk e começa a se transformar no Mercenário, um dos malvados mais queridos da HQ _no cinema, ele já foi vivido por Colin Farrell.

"Nós queríamos contar a história da origem de um dos vilões icônicos dos quadrinhos, sem perder o pé no chão que o universo da série exige", definiu Jeph Loeb, vice-presidente da divisão de televisão da Marvel. "Gosto de pensar que em Demolidor nós não temos vilões propriamente, mas antagonistas."

Dono de uma mira espetacular e treinado em artes marciais, Mercenário se torna um grande obstáculo para Murdock, e os dois protagonizam lutas espetaculares no decorrer da temporada. "Eu queria que Matt perdesse algumas batalhas, e que isso tivesse consequências reais para ele", contou Oleson.

Mas uma das cenas mais impressionantes da temporada não envolve o novo antagonista. No quarto episódio, Matt Murdock visita uma prisão e acaba se envolvendo em uma luta com policiais e presidiários que culmina em uma rebelião. A sequência, aparentemente sem cortes, dura mais de dez minutos e tira o fôlego do público. A equipe parou de gravar por um dia inteiro apenas para ensaiar a cena.

Como a Netflix mostrou que não vai ter mais piedade com as produções da Marvel, já que cancelou Punho de Ferro após a segunda temporada, Demolidor precisa mostrar serviço para continuar sendo feita. No que depender do terceiro ano, o herói cego ainda tem fôlego para mais aventuras na plataforma de streaming.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?