Memória da TV

Em 2001, Boni quase virou sócio do SBT, mas Silvio Santos rasgou o contrato

Divulgação

Silvio Santos e Boni, ex-todo-poderoso da Globo, negociaram sociedade do SBT pela primeira vez em 1998 - Divulgação

Silvio Santos e Boni, ex-todo-poderoso da Globo, negociaram sociedade do SBT pela primeira vez em 1998

THELL DE CASTRO - Publicado em 12/05/2019, às 07h14

Em pelo menos três oportunidades, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, que foi o todo-poderoso da Globo durante três décadas, quase ficou sócio de Silvio Santos no SBT. Em todas as vezes, o negócio foi desfeito pelo animador, que nunca quis dividir a tomada de decisões de sua emissora.

A primeira notícia a respeito da sociedade surgiu em 12 de fevereiro de 1998, pouco tempo depois de Boni ter deixado o comando da Globo para virar consultor. "Boni passou a tarde de ontem no Complexo Anhanguera conversando com Silvio Santos. No SBT, falava-se que Boni estaria negociando a ida para a emissora. É conhecida a insatisfação de Boni com a Globo, onde deixou de exercer funções executivas em 1997. Seu contrato com a Globo até 2001", informou a nota.

O negócio não foi para a frente. Justamente em 2001, quando terminaria o acordo de Boni com a Globo, o assunto voltou para a mídia. Em 15 de outubro daquele ano, o jornal Meio & Mensagem revelou que o empresário deveria ser anunciado em breve como novo sócio do SBT.

"Segundo fontes diretamente ligadas às partes envolvidas, as negociações estariam em ritmo avançado. A participação do ex-global seria em torno de 30%, com pró-labore de R$ 2 milhões mensais para responder pela programação da segunda maior emissora de TV aberta do país. A única exigência de Silvio Santos, que continuaria a comandar a grade de sábados e domingos, seria não interferir também nos programas de Ratinho e Hebe Camargo", informou a matéria.

Segundo a reportagem, Boni também estaria estudando sociedade com a RedeTV! e a Band, mas as maiores chances eram de fechar com o SBT. "Fonte de Meio & Mensagem no mercado indica que Boni já estaria até contatando executivos para formar sua equipe para trabalhar no SBT. Entre os convidados, estaria um profissional que atuou com ele na Rede Globo", completou.

Em 18 de outubro, Daniel Castro, hoje editor-chefe do Notícias da TV, informou na Folha de S.Paulo que a cúpula da Globo ficou apavorada com a possibilidade. "Boni, que negocia renovação de contrato com a Globo, vencido em maio, ainda não fechou com o SBT. A tendência, no entanto, é ele permanecer na Globo e cumprir quarentena de dois anos estipulada em contrato", enfatizou.

Castro informou, em 18 de março de 2004, também na Folha, que o negócio estava certo, "quando Silvio Santos voltou atrás e rasgou contratos". Era a terceira vez que o assunto voltava à mídia –dessa vez, a reportagem informava que as tratativas estavam praticamente encerradas e sem sucesso.

"Não vejo como progredir [as negociações]. Silvio Santos é muito receoso de perder o controle da emissora. Se eu não tivesse o controle acionário, pelo menos gostaria de ter controle sobre a programação. Não quero ir lá como empregado. Tenho um grupo de investidores", disse o executivo.

De acordo com o jornalista, os dois voltaram a negociar em 2003 e tiveram uma reunião a sós, sem assessores. "Segundo Boni, um novo encontro estava previsto após o Carnaval, mas até agora não foi agendado. "Acho que não vai mais acontecer. [O negócio] Foi para o telhado por ele ter protelado", afirmou.

Posteriormente, em 16 de maio, Daniel Castro publicou que Boni praticamente desistiu do negócio.

"Há duas semanas, em uma declaração à revista Veja, Silvio Santos deu um banho de água fria no ex-todo-poderoso da Globo. Disse que leva o SBT quem pagar R$ 2 bilhões. Para Boni, a rede não vale todo esse dinheiro. 'Isso é inviável', afirma. 'Será preciso 15 anos para recuperar o investimento'. De acordo com o ex-vice-presidente da Globo, é necessário também injetar muito dinheiro no SBT. A emissora tem um elenco muito reduzido e uma programação, avalia, frágil", destacou.

Como se sabe, Boni nunca foi sócio de Silvio Santos no SBT. O executivo, entre outros empreendimentos, comanda a TV Vanguarda, afiliada da Globo no Vale do Paraíba (SP). Já o animador continua firme e forte à frente de sua emissora, sem nenhum tipo de sociedade.


THELL DE CASTRO é jornalista, editor do site TV História e autor do livro Dicionário da Televisão Brasileira. Siga no Twitter: @thelldecastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?
Sinta-se em Casa, com Marcelo Adnet sempre criativo e afiado
10.15%
Diário de um Confinado, com retrato fiel do isolamento social
17.34%
Cada um no seu Quadrado, com suas dinâmicas divertidas
2.40%
Prefiro as reprises das novelas mesmo
70.11%

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook