Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

ASSISTA AOS VÍDEOS

De gemidão a toque de celular: Cinco vezes em que jornalistas se deram mal

REPRODUÇÃO/GLOBONEWS/ESPN

Leilane Neubarth, apresentadora da GloboNews, e Gian Oddi, comentarista da ESPN, passaram por apuros ao vivo - REPRODUÇÃO/GLOBONEWS/ESPN

Leilane Neubarth, apresentadora da GloboNews, e Gian Oddi, comentarista da ESPN, passaram por apuros ao vivo

REDAÇÃO

Publicado em 16/1/2019 - 5h24

Vítima do famoso "gemidão do zap", o comentarista do Estúdio I Octávio Guedes não foi o primeiro e provavelmente não será o último jornalista a passar por um constrangimento desses ao vivo. Na última sexta (11), no programa da GloboNews, Octávio abriu um arquivo no celular sem saber que se tratava de um vídeo com os barulhos sexuais. Após a gafe, a apresentadora Leila Sterenberg chamou o intervalo.

O jornalista até brincou com a situação antes da edição do Estúdio I de segunda (14). "Celular no modo soneca", escreveu no Twitter. Na própria GloboNews, já aconteceram outros problemas com os aparelhos. Leilane Neubarth que o diga.

Relembre cinco casos de jornalistas que tiveram problemas ao vivo por causa do celular ou do "gemidão do zap", e assista aos vídeos: 

Alô, Leilane Neubarth
Apresentadora do Jornal das 18h, na GloboNews, Leilane comentava os desdobramentos da Operação Lava Jato, em junho do ano passado, quando o seu celular começou a tocar em volume alto, ao vivo. Assustada, a jornalista tratou de silenciar o aparelho enquanto pedia desculpas e dizia "meu Deus". Com o problema solucionado, ela seguiu plena, como se nada tivesse acontecido. Veja o vídeo:

Gemidão na ESPN 
Parecia apenas mais uma edição de debate esportivo no Bate-Bola, da ESPN Brasil, não fosse o fato de o comentarista Gian Oddi ter dado play em um vídeo com o "gemidão do zap". Paulo Calçade e Eduardo Tironi, que também participavam do programa, perceberam o micão, enquanto o apresentador João Carlos Albuquerque deu sequência à atração sem fazer piada com o colega. Assista: 

Oi?
A repórter Gisah Batista, da RPC, afiliada da Globo no Paraná, fazia uma entrada ao vivo numa edição de julho de 2011 do jornal local da emissora. Enquanto falava sobre a venda de pinhão e quentão em um evento de Curitiba, a jornalista simplesmente parou de dar as informações, tirou o celular do bolso e atendeu: "Oi". O link foi interrompido e a imagem voltou para os apresentadores no estúdio, que ficaram sem entender nada. Acompanhe: 

Ao vivo no pós-jogo 
O ex-jogador Montillo, então no Botafogo, dava uma entrevista ao vivo para o Sportv logo após uma partida. Na ocasião, o atleta falava sobre a sua aposentadoria dos gramados. Em meio ao discurso, alguém que estava próximo abriu um vídeo com o "gemidão do zap" e Montillo, que estava ao lado de seu filho pequeno, reagiu com um "nossa". O repórter explicou a situação ao público e seguiu a conversa. Relembre: 

BBC 
Não são apenas os jornalistas brasileiros que foram vítimas do "gemidão do zap". A repórter Emma Vardy, da inglesa BBC, deu informações sobre o Brexit para o programa BBC Breakfast com o barulho, que vinha de alto-falantes, ao fundo. Na ocasião, em 2017, a emissora afirmou à imprensa local que a interrupção foi algo fora do controle e que a jornalista se portou profissionalmente, conduzindo a transmissão até o fim. Veja abaixo: 

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?