MONSTRINHOS DE BOLSO

Como Pokémon superou crise, faturou mais que Star Wars e chegou a mil episódios

Divulgação/The Pokémon Company

O garoto Ash Ketchum e seu Pikachu são os protagonistas do desenho Pokémon, no ar desde 1997 - Divulgação/The Pokémon Company

O garoto Ash Ketchum e seu Pikachu são os protagonistas do desenho Pokémon, no ar desde 1997

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 21/06/2018, às 06h14

No ar desde 1997, a animação Pokémon exibe seu milésimo episódio nesta quinta (21). A longevidade chama a atenção porque a série, logo em seu primeiro ano, ficou marcada por uma tragédia: quase 700 crianças foram hospitalizadas após terem convulsões assistindo a um capítulo. O drama foi superado e a franquia cresceu. Pokémon já arrecadou mais de US$ 59 bilhões (R$ 220 bilhões) mundialmente, à frente de pesos-pesados como Star Wars (R$ 160 bilhões) e Harry Potter (R$ 98 bilhões).

O desenho conta a história de Ash Ketchum, um garoto que deixa o conforto de sua casa para se tornar um grande mestre Pokémon. Ele viaja pelo mundo, tenta capturar monstrinhos diferentes, batalha contra outros treinadores e até disputa grandes campeonatos, verdadeiras Copas do Mundo entre mestres. Para tanto, conta com a companhia de seu Pokémon favorito, o elétrico Pikachu.

Segundo dados da própria The Pokémon Company, o desenho já foi transmitido em 124 países diferentes. Apenas com produtos licenciados (em especial games, brinquedos e colecionáveis), a empresa faturou US$ 48 bilhões (R$ 181 bilhões). 

Mas como um simples desenho animado conseguiu números tão impressionantes? Além de personagens carismáticos e uma narrativa simples, o sucesso de Pokémon está atrelado a uma estratégia de mídia bem amarrada. A franquia surgiu no videogame em 1996, virou um jogo de cartas e chegou à TV no ano seguinte.

Até hoje, personagens que fazem sucesso no desenho migram para o game, que é remodelado e vendido em uma nova versão _foi assim com Pokémon Yellow, que adaptou os jogos Red e Blue para colocar Pikachu em posição de destaque. A saga também chega aos cinemas anualmente: no Japão, já foram lançados 21 filmes.

Outro segredo é que o desenho tem material inesgotável para continuar no ar: quando a série estreou, a missão de Ash era capturar "somente" 151 espécies diferentes de Pokémon; agora, são 807 _e novas gerações de monstrinhos já estão a caminho. Companheiros de jornada entram e saem da trama toda vez que ela precisa ganhar fôlego, e apenas Pikachu está com seu "dono" desde o início.

Fenômeno cultural
Apesar de dominar a cultura japonesa, país onde existem até lojas temáticas da franquia, Pokémon conseguiu dominar o mundo _invadindo até os Estados Unidos, tradicionalmente menos receptivos a produções estrangeiras.

Para se ter uma ideia, frases do desenho animado já foram usadas até em um discurso do político Herman Cain, que disputava a vaga do Partido Republicano às eleições presidenciais de 2011. Ele era favorito na disputa, e chegou até a superar o democrata Barack Obama em pesquisas, mas acabou desistindo do pleito.

"A vida pode ser um desafio. A vida pode parecer impossível. Nunca é fácil quando há tanta coisa em risco. Mas eu e você podemos fazer a diferença. Há uma missão só para nós dois. Olhe para dentro e você conseguirá ver do que é capaz", declamou ele em um de seus pronunciamentos, atribuindo a mensagem a um poeta. Fãs do anime reconheceram que o texto era, na verdade, de uma canção do desenho.

A influência cultural de Pokémon é tamanha que até Os Simpsons satirizaram o anime. Em um episódio da décima temporada, a família amarela viaja ao Japão e Bart vê um desenho animado na TV. Em questão de segundos, ele começa a ter convulsões no chão do hotel. Sua família vai resgatá-lo e também passa mal.

O deboche norte-americano faz referência a um capítulo exibido no Japão em dezembro de 1997, em que efeitos visuais de raios foram repetidos tão intensamente na TV que 685 crianças (310 meninos e 375 meninas) sentiram náuseas, tiveram convulsões e precisaram ser levadas ao hospital. Muitas se recuperaram no trajeto da ambulância, e apenas duas ficaram mais de 15 dias internadas.

O episódio problemático nunca mais foi reprisado na TV japonesa e sequer consta no pacote vendido para outros países _no Brasil, por exemplo, ele jamais foi exibido. Dessa forma, o capítulo 1000 que será exibido no Brasil nesta quinta é diferente do milésimo japonês _a contagem nacional acompanha a norte-americana.

A alfinetada é óbvia, mas também mostra uma preocupação dos animadores norte-americanos à concorrência japonesa. No ar desde 1989, Os Simpsons exibiram "apenas" 639 episódios e ganharam um único filme. A franquia é avaliada em US$ 13 bilhões (R$ 48 bilhões), cerca de um quinto do valor de Pokémon. Ou seja: com convulsão no histórico ou não, os monstrinhos são bem mais lucrativos.

O milésimo episódio de Pokémon será exibido às 16h pelo Cartoon Network e mostrará um evento mais que especial: a cerimônia de casamento do professor Kukui com a professora Burnet.

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook