CAMILA MÁRDILA

Chamada de feia e vesga, atriz supera xingamentos e vira protagonista na TV

DIVULGAÇÃO/MTV

Camila Márdila interpreta a descolada e sarcástica Mari Maia na série Feras, produção original da MTV - DIVULGAÇÃO/MTV

Camila Márdila interpreta a descolada e sarcástica Mari Maia na série Feras, produção original da MTV

GABRIEL PERLINE - Publicado em 24/01/2019, às 05h35

Antes de arrebatar o público com a revoltada Jéssica no filme Que Horas Ela Volta? (2015), que lhe rendeu o prêmio de melhor atriz no Sundance Festival, Camila Márdila sofreu com as inúmeras negativas dos produtores de elenco, que lhe recusavam papéis sob justificativas muito duras. Ela ouviu que era feia, vesga e que não tinha um rosto comercial. Hoje, depois de três trabalhos na Globo, ela é protagonista de Feras, nova série da MTV.

"Eu estou nessa há muitos anos e fui a vários testes, e recebi muitos 'nãos' na cara. E muitos de maneira explícita, acompanhados de comentários pejorativos e abusivos. Olhavam para mim e diziam que eu era feia. Teve uma vez que um diretor me perguntou, no meio do teste, se eu era vesga", disse a atriz ao Notícias da TV.

As inúmeras negativas nos testes fizeram Camila despontar tardiamente ao estrelato. Ela estuda teatro desde os 11 anos de idade, mas foi somente aos 27 que seu trabalho ganhou projeção, graças ao papel no filme de Anna Muylaert.

"Eu era uma criança quando me disseram isso. E essas coisas vão te perseguindo e você fica se questionando: 'Eu estudo pra caramba e o que eu preciso é ser bonita no fim das contas?' É muito difícil a gente ficar administrando esse lado. Eu invisto muito na minha carga intelectual, mas de alguma forma você precisa realizar os desejos do lado comercial, que é onde o dinheiro está", comentou.

Do sucesso no filme, com direito a prêmio internacional, vieram uma sequência de convites para trabalhos na Globo. Camila estreou na TV em Justiça (2016), e atuou em Treze Dias Longe do Sol (2018) e em Onde Nascem os Fortes (2018). 

"Eu era pequenininha e já falava que não ia trabalhar na TV e que tampouco bateria na porta da Globo. Eu era uma criança velha, fazia teatro e encarava como trabalho, tinha muita disciplina. Aquilo era trabalho, não era para aparecer. Sempre fui muito tímida, não gosto de aparecer. Sempre acreditava que tudo ia acontecer por conta do meu trabalho", explicou.

"Eu gostei muito de fazer os trabalhos que fiz na Globo e voltaria a fazer outros. Mas eu quero fazer as minhas escolhas autorais e ter autonomia sobre mim mesma, fazer coisas que eu acredito. E isso não é uma escolha fácil."

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

• FERAS estréia HOJE • na @mtvbrasil e MTV Play às 22h ! . Em parceria com a Primo Filmes e criada por Felipe Sant’Angelo e Teodoro Poppovic, a série também traz no elenco Camila Márdila, João Vitor Silva, Mohana Uchôa, Rodrigo García, Tulio Starling e Vinicius Siqueira Pela primeira vez como atriz, Laerte Coutinho interpretará uma psicanalista na série Jesuíta Barbosa e Leandro Ramos são nomes convidados para uma participação especial Gravada e ambientada em São Paulo, ‘Feras’ retrata as novas formas de relacionamento Direção geral fica a cargo de Teodoro Poppovic que também é diretor de episódios ao lado de Lia Kulakauskas e Maria Farkas. 💥💥💥💥

Uma publicação compartilhada por Camila Márdila (@camilamardila) em

Aceitar o convite de protagonizar Feras na MTV vem dessa autonomia que a atriz preza por sua carreira. Ao ler o roteiro e o descritivo sobre a jovem Mari Maia, aceitou na hora por se identificar com a personagem.

"Raramente me chamam para personagens bem humorados, leves, urbanos, que é o meu contexto de vida. É um outro registro de interpretação. Acho a série muito diversa, tem muitos assuntos do nosso convívio nessa metrópole louca que é São Paulo. Estou aqui há quatro anos e estou absolutamente apaixonada pela cidade. Acho que a série não tem muito filtro e apresenta assuntos importantes, que estão sempre presentes e são pouco revelados ou construídos na dramaturgia", disse ela, que é natural de Taguatinga (DF).

Feras é a segunda produção original da MTV sob a gestão da Viacom. A série dialoga com dilemas de seu público, evidenciando a inadequação dos jovens adultos nos tempos atuais e suas questões com o moralismo social. Aborda temas como sexo, drogas, relacionamentos abertos, relacionamentos abusivos, entre outros.

"Normalmente, a dramatugia explora pouco as questões dessa turma que está na faixa dos 20 e poucos anos. Ou surge na figura de um estudante universitário ou de alguém construindo uma família nos moldes tradicionais. E nessa fase nós temos inúmeras questões mal resolvidas nas nossas cabeças. Feras faz um retrato muito real dos jovens que vivem numa metrópole como São Paulo", defendeu a atriz.

Na série, Mari Maia é uma garota sarcástica, ácida e dotada de um humor peculiar. Ela atua como um oráculo para Ciro (João Vitor Silva), seu amigo que acaba de levar um pé na bunda após oito anos de namoro, e o ajuda a se situar no mundo moderno, enquanto enfrenta seus próprios dilemas, como a perseguição de um ex-namorado possessivo e abusivo.

"Ela ajuda Ciro a quebrar um pouco da visão romântica que ele tem sobre o mundo e também a acabar com alguns pensamentos preconceituosos e machistas", explicou.

Feras é uma obra de Felipe Sant’angelo e Teodoro Poppovic, dividida em 13 episódios de 30 minutos, exibida sempre às segundas, às 22h, na MTV.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual novela a Globo deve reprisar depois de Novo Mundo?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook