LISTA DE CORTES

ESPN Brasil dispensa Juca Kfouri, João Palomino e mais cinco jornalistas

REPRODUÇÃO/ESPN

O comentarista Juca Kfouri (à esq.) e o executivo João Palomino foram dispensados pela ESPN - REPRODUÇÃO/ESPN

O comentarista Juca Kfouri (à esq.) e o executivo João Palomino foram dispensados pela ESPN

VINÍCIUS ANDRADE - Publicado em 14/08/2019, às 13h41 - Atualizado às 19h11

A ESPN promoveu uma grande dispensa de funcionários em sua Redação no Brasil nesta quarta (14). O cargo mais alto na lista de corte é o de João Palomino, que estava na empresa desde a sua fundação, em 1995, e ocupava a função de vice-presidente de Jornalismo e Produção há cinco anos. No canal desde 2005, Juca Kfouri não teve seu contrato renovado.

Um dos jornalistas esportivos mais prestigiados do Brasil, Kfouri participava como comentarista no programa Linha de Passe, o mesmo em que Arnaldo Ribeiro, que ainda era chefe de Redação, dava expediente --Ribeiro também foi demitido.

Outros cargos superiores e jornalistas engrossam a lista de demissões na ESPN. O apresentador João Carlos Albuquerque, o João Canalha; o editor-executivo Eduardo Tironi; o comentarista Rafael Oliveira; e a gerente sênior de Produção, Renata Netto, também foram dispensados.

Antes de assumir a diretoria de Jornalismo e Produção da ESPN, em 2012, João Palomino atuou como apresentador e narrador. Participou das coberturas dos Jogos Olímpicos de Pequim/2008 e Londres/2012, além das Copas do Mundo da França/1998, Coreia do Sul e Japão/2002, Alemanha/2006 e África do Sul/2010.

Eduardo Tironi estava no canal há sete anos. Começou como editor-executivo da sucursal do Rio de Janeiro; foi transferido em 2014 para São Paulo, onde permaneceu com o mesmo cargo. Ele ainda participava dos programas de debate.

Especialista em futebol europeu, Rafael Oliveira atuava em transmissões ao vivo e debates. Era funcionário da ESPN desde 2013, quando deixou o Esporte Interativo.

Renata Netto estava na ESPN desde 2001 e desempenhou diferentes funções na empresa. Era gerente sênior desde 2013 e coordenava ESPN Brasil, ESPN e ESPN+; ela cuidava da parte visual dos canais e ajudou a profissionalizar as transmissões de eventos ao vivo.

Por fim, Arnaldo Ribeiro trabalhava no canal desde 2005; além de comentarista, foi editor-chefe e desempenhava até sua demissão a função de chefe de Redação.

Em nota, a ESPN afirma que "passa por transformação para atender aos fãs, acionistas e clientes de esportes".

"A reformulação faz parte do planejamento da emissora para o próximo ano. Ela seguirá apostando no conteúdo ao vivo e nos direitos esportivos de futebol, tais como Premier League e La Liga, além das ligas norte-americanas como a NFL, NBA, MLB, NHL entre outras", diz a empresa.

As demissões dos executivos acontecem pouco menos de três meses depois de a Disney, que é dona da ESPN, assumir o controle dos canais Fox no Brasil.

Aqui, o Cade (Conselho Administrativo de Direito Econômico) obrigou a Disney a vender os dois Fox Sports para outra empresa que ainda não tenha canal esportivo, o que também exclui a Globo.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que falta para Amor de Mãe conquistar mais audiência?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook