Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

FERNANDA MAIA

Apresentadora comete erro ao vivo em fala sobre racismo; SBT se desculpa

REPRODUÇÃO/SBT

Imagem da apresentadora Fernanda Maia durante o SBT Esporte Rio

Fernanda Maia durante SBT Esporte Rio; apresentadora cometeu gafe ao vivo sobre história do Fluminense

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 20/11/2020 - 20h26

A apresentadora Fernanda Maia protagonizou uma gafe ao vivo durante o SBT Esporte Rio desta sexta-feira (20). Ao discutir o racismo no futebol brasileiro, a âncora do programa cometeu um deslize sobre a história do Fluminense e a emissora teve de pedir desculpas pela falha da funcionária.

No Dia da Consciência Negra, Fernanda e os participantes da atração discutiam a presença de negros no futebol quando a apresentadora soltou, sem saber, uma mentira a respeito do Fluminense. 

"Era proibido ter negros jogando futebol, que era um esporte um pouco elitizado. Havia uma segregação racial tão triste, mas que acontecia. Inclusive, os jogadores do Fluminense colocavam pó de arroz no rosto para esconder a cor da pele porque os negros eram proibidos de jogar futebol", comentou a apresentadora.

A declaração errada logo gerou uma série de comentários nas redes sociais por parte dos torcedores tricolores e Fernanda foi logo corrigida pelo Fluminense, que resgatou um vídeo para recontar a história real sobre o apelido de pó de arroz dado ao jogador Carlos Alberto, em 1914.

O atleta, na veradade, tinha o hábito de usar talco em sua pele já quando defendia o América-RJ. O clube também aproveitou a ocasião para se posicionar contra o racismo.

"Na realidade, a história do pó de arroz partiu de uma provocação da torcida americana ao Carlos Alberto, que tinha o conhecido hábito de usar talco desde o seu ex-clube (o América-RJ). Chateados com o fato do jogador ter saído, os americanos o perseguiram e a torcida tricolor transformou a ofensa em um dos maiores símbolos do nosso futebol", conta o clube em um trecho do vídeo. 

"Por ignorância, gerou rótulos racistas e homofóbicos de torcidas adversárias, que distorceram por completo a história. Não à toa, com orgulho, o Tricolor afirma que 'nós somos a história'. Estamos contra qualquer tipo de preconceito. Afinal, somos o Time de Todos", completou o Fluminense. Até hoje, o pó de arroz é um símbolo da torcida do Tricolor carioca, usado para subverter atitudes racistas e homofóbicas dos rivais.

O SBT usou o posicionamento do Fluminense para se desculpar pelo erro de sua funcionária. "No SBT Esporte Rio de hoje erramos ao falar da origem do apelido pó de arroz do Fluminense. Pedimos sinceras desculpas ao clube e seus torcedores", escreveu a emissora de Silvio Santos no Twitter.

Com a grande repercussão, Fernanda também usou as suas redes sociais para se retratar. A comentarista esportiva gravou um vídeo em que afirmou não saber sobre a real história da origem do apelido pó de arroz, concedido ao Fluminense, e prometeu que na próxima edição do programa, segunda-feira (23), vai se desculpar ao vivo.

"Assim como eu, muita gente ainda acredita nessa história mentirosa de que o pó de arroz era usado para esconder a cor da pele, mas não é. Na segunda-feira eu faço essa correção. Peço desculpas à torcida do Fluminense", declarou a jornalista.

Fernanda, de 31 anos, tem uma história curiosa. Ela era gandula do Botafogo e ganhou fama após dar uma "assistência" para um gol do time alvinegro na final da Taça Rio contra o Vasco, em 2012. Depois disso, sua vida mudou completamente. Ela aproveitou a fama e foi contradada pelo SBT para ser apresentadora. Além disso, também é locutora oficial do Engenhão, no Rio de Janeiro, e comentarista da rádio Mix FM.

Confira a gafe de Fernanda Maia no SBT Esporte Rio:

Assista ao vídeo do Fluminense com a história da origem do apelido:

Veja o pedido de desculpas de Fernanda e do SBT:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?