Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

CRIME DE LGBTFOBIA

Ana Paula Valadão diz na TV que Aids é doença de gays; entidade processará cantora

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Imagem de Ana Paula Valadão com microfone em live

Ana Paula Valadão em live; cantora gospel será processada por comentário considerado homofóbico

REDAÇÃO

Publicado em 12/9/2020 - 18h47

A cantora gospel e pastora Ana Paula Valadão irritou a comunidade LGBTQ+ ao dizer no programa Diante do Trono, apresentado por ela na Rede Super, que ser gay "não é normal" e que a punição para tal pecado é a morte. Além disso, atribuiu aos homossexuais a responsabilidade pela proliferação da Aids. Ela será processada por crime de LGBTfobia.

"Isso não é normal. Deus criou o homem e a mulher e é assim que nós cremos. A qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre-arbítrio do ser humano. E qualquer escolha leva a consequências", disse a evangélica. Em seguida, mostrou seu desconhecimento a respeito do HIV.

"Qualquer escolha contrária ao que Deus determinou como ideal chama de pecado. O pecado tem uma consequência que é a morte. Ta ai a Aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa enfermidade que leva a morte, contamina as mulheres. Enfim, não é o ideal de Deus", comentou.

De acordo com o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, publicado em dezembro de 2019, o Brasil registrou 248.520 novos casos de pacientes com HIV entre 2007 e 2019. Destas, 143.506 se declararam heterossexuais, o que corresponde a 58% dos infectados. Somente 42% pertencem à comunidade LGBTQ+.

As falas de Ana Paula foram consideradas homofóbicas e seu nome se tornou o assunto mais comentado do Twitter neste sábado (12). A Aliança Nacional LGBTI+ declarou em nota que processará a evangélica por crime de LGBTfobia.

"O discurso de Ana Paula beira ao absurdo, extrapolando a liberdade religiosa e de expressão, tornando-se um discurso odioso, fanático e amplamente desproposital, com consequências potencialmente desastrosas, principalmente para quem a segue", diz o comunicado.

"Nos encontraremos nas barras da lei - a lei dos homens e das mulheres. Não se deve acreditar em um Deus como este pregado pela apresentadora, que espalha preconceitos, estigmas e ódio! Se a sua exegese e hermenêutica são essas, as nossas são os artigos 3º e 5º de Constituição Federal cidadã de 1988", completa a Aliança Nacional LGBTI+.

Ana Paula Valadão recebeu duras críticas por suas palavras bloqueou seu perfil no Twitter e desativou os comentários em suas publicações no Instagram. Confira o vídeo da pastora e algumas reações da web:

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você acha das demissões de veteranos da Globo?