Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SÓ NO FIM DO ANO

Voltar a gravar no Brasil com coronavírus é um desafio, diz Netflix

Rafael Morse/Netflix

O ator MC Jottapê segura um copo e dá risada durante gravação de baile funk na série Sintonia

MC Jottapê (de camisa branca) em cena de aglomeração durante baile funk da série Sintonia

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 16/7/2020 - 18h18

O Brasil está entre os países mais problemáticos para a retomada da produção audiovisual, de acordo com a Netflix. A plataforma de streaming só deve voltar a gravar por aqui no fim do ano. É uma situação bem diferente da encontrada no Japão, onde a equipe de O Diretor Nu já está em estúdio gravando a segunda temporada da série.

"Conforme o mundo lentamente vai reabrindo, a nossa maior prioridade é recomeçar nossas produções com precaução e de uma maneira consistente com os padrões de saúde e segura, para nos certificarmos de que nossos assinantes possam apreciar uma ampla varidade de novo conteúdo de alta qualidade", informou a Netflix em uma carta aos seus acionistas divulgada nesta quinta-feira (16).

Os procedimentos e os cronogramas para voltar a gravar, de acordo com a plataforma, vai depender do panorama de cada país. A empresa considera, por exemplo, a incidência de novos casos de Covid-19, a disponibilidade de testes e até as atitudes do governo em relação à doença. "Não há uma única saída que sirva para todos os países, vamos nos adaptar às circunstâncias locais", disse a empresa.

No comunicado, a gigante do streaming informa que a situação está mais avançada na Ásia --na Coreia do Sul, por exemplo, as gravações sequer foram interrompidas. Na Europa, os trabalhos de pré-produção foram retomados em países como Alemanha, França, Espanha, Polônia, Itália e Reino Unido.

Brasil e outros países da América Latina, assim como Índia, estão em uma situação que a empresa classifica como "desafiadora". "Esperamos recomeçar os trabalhos nessas regiões bem mais tarde neste ano", limitou-se a dizer a companhia.

E os Estados Unidos, que correspondem à maior parte das produções originais, como fica? "Recentemente retomamos a produção de dois filmes na Califórnia e dois projetos de animação stop-motion no Oregon, e esperamos que mais séries e longas norte-americanos comecem ainda nestre trimestre. Mas as tendências de infecção atuais criam mais incertezas para nossos trabalhos no país", explicou.


Leia também

Web Stories

+
A Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de PantanalHarmonização facial e lente nos dentes: Veja antes e depois dos peões de A Fazenda 13Ex de Anitta e rei da pegação: Gui Araujo é o primeiro fazendeiro de A Fazenda 13Elenco, estreia e bastidores: Saiba tudo sobre o reboot de Um Maluco no Pedaço

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?