Chicago Med

Universal estreia terceira série ambientada em Chicago (agora em um hospital)

Divulgação/NBC

A atriz Yaya DaCosta, descendente de brasileiros, é protagonista da série Chicago Med - Divulgação/NBC

A atriz Yaya DaCosta, descendente de brasileiros, é protagonista da série Chicago Med

JOÃO DA PAZ - Publicado em 11/01/2016, às 04h45

A cidade de Chicago é uma atração à parte na TV. Tem uma série que se passa em um Corpo de Bombeiros (Chicago Fire) e outra em uma delegacia de polícia (Chicago P.D.). Nesta segunda (11), o Universal Channel estreia mais uma atração ambientada na cidade americana: Chicago Med. O drama hospitalar é um spin-off de Chicago Fire e trará personagens apresentados primeiro nessa série, como é o caso da enfermeira April Sexton, interpretada pela atriz Yaya DaCosta, neta de brasileiro.

Yaya, que já atuou em 44 capítulos da novela norte-americana All My Children (2008), reprisa o papel apresentado no ano passado Chicago Fire. O avô materno da atriz deixou o Brasil no final da década de 1920 e foi para os Estados Unidos _o sobrenome DaCosta vem da mãe. Yaya tem 33 anos e nasceu no Harlem, bairro de população predominantemente negra em Nova York. Ganhou fama quando participou do reality show America’s Next Top Model, em 2004.

Não por coincidência, a personagem de Yaya em Chicago Med tem raiz no Brasil. No primeiro episódio, ela conta sua história a um médico contando e diz que seus pais são brasileiros. A enfermeira afirma que seu sobrenome na verdade é Suassuna, mas os pais decidiram mudar para Sexton: "Mais americano e é mais fácil de se pronunciar", explica.

Outro personagem de origem nas séries "mães" é o médico Will Halstead (Nick Gehlfuss), com aparições em Chicago P.D. e Chicago Fire. Ele é um dos principais médicos do hospital Gaffney Chicago Medical, irmão do detetive Jay (Jessie Lee Soffer), de Chicago P.D.. Bombeiros de Chicago Fire e policiais de Chicago P.D. terão participações esporádicas em Chicago Med.

DIVULGAÇÃO/NBC

Personagem de Torrey de Vito (à esq.) é presenteada por Caroline Lagerfelt em chá de bebê 

Clichês sim, por que não?

O drama hospitalar não traz muitas novidades em comparação a outras séries semelhantes, como Grey’s Anatomy e Code Black. O episódio de estreia traz a inauguração da ala de pronto-socorro do Gaffney Chicago Medical. No instante em que o prefeito da cidade (vivido pelo dono do cargo na vida real, Rahm Emanuel) termina seu discurso na porta do hospital, os médicos recebem um alerta de que um acidente acabou de ocorrer: um trem descarrilhou.

As vítimas são levadas ao hospital e começa aquela interação tradicional: uma médica inexperiente tem de salvar a vida de uma criança, um médico se identifica com o problema de um paciente e outros clichês. Se Code Black veio para trazer uma rotina mais intensa e acelerada de um pronto-socorro, com casos e acidentes graves, Chicago Med aposta no drama mais clássico, algo mais próximo de Grey’s Anatomy.

Exemplo disso é o grupo de amigas médicas que se esforçam para organizar um chá de bebê para uma colega grávida. Há também o conflito entre um médico arrogante, que se enxerga como a peça mais importante do hospital, e um médico recém-chegado. O novato instantaneamente conquista a todos no pronto-socorro com sua simpatia _e as mulheres com seu charme.

Nos Estados Unidos, Chicago Med está dando uma audiência promissora para a rede NBC, com 8,9 milhões de telespectadores em média por episódio (já foram ao ar quatro). Isso fez com que a emissora encomendasse mais cinco episódios para a temporada de estreia, totalizando 18. 


Programa: Chicago Med. Estreia: 11/1

Quando: segundas, às 23h

Onde: Universal Channel


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você está curtindo o programa Se Joga?
Sim, é divertido e leve.
22.27%
Não é horrível, mas também não é bom.
26.34%
Não, achei muito ruim, uma vergonha.
27.00%
Prefiro A Hora da Venenosa.
24.40%

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook