Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NA WARNER

Sem enrolação, Ponto Cego tem a sua melhor temporada na despedida

IMAGENS: DIVULGAÇÃO/NBC

Com uma roupa preta, Jaimie Alexander se arrasta pelo chão em cena de fuga da quinta temporada de Ponto Cego

A atriz Jaimie Alexander em cena da quinta e última temporada de Ponto Cego, novidade na Warner

JOÃO DA PAZ

joao@noticiasdatv.com

Publicado em 19/9/2020 - 6h55

Com uma proposta ao mesmo tempo diferentona e conservadora, Ponto Cego chega ao fim nos próprios termos após a quinta temporada, a melhor de todas. A série ganhou popularidade por misturar algo nada comum (uma mulher encontrada nua, sem memória e coberta de tatuagens) com um clichê (uma equipe do FBI combatendo crimes a cada episódio).

Essa combinação deu muito certo e conquistou fãs ao redor do mundo, responsáveis por fazer a série durar tanto, pois nos Estados Unidos a atração escorregava na audiência e flertava com o cancelamento precoce. Mas a trama findou como o criador Martin Gero queria, e o telespectador pode acompanhar a despedida de Jane Doe (Jaimie Alexander) a partir da madrugada de sábado (19) para domingo, à 0h30, na Warner.

A rede NBC se sentou com a Warner Bros. e a produtora de Greg Berlanti para definir como seria a útlima temporada. Gero formalmente pediu para que fossem 11 episódios, metade do que a atração teve por leva até então. Sem qualquer peso cabalístico, esse número carregava dois ideais. Um era que a série acabaria no 100º capítulo. O outro era que, mais curta, a história ficaria condensada e dinâmica. E foi exatamente o que ocorreu.

Ponto Cego tem a sua melhor temporada porque não enrola. Sem tempo a perder, os episódios passam rápido, com os personagens agindo tendo uma única meta em mente, com pouca história paralela. Assim, a série não fica maçante nem gira em círculos rumo à linha de chegada.

A narrativa da quinta temporada é simples. Tudo começa no instante após o final da leva anterior, com a explosão da cabana onde estavam Kurt Weller (Sullivan Stapleton), Edgar Reade (Rob Brown), Tasha Zapata (Audrey Esparza) e Patterson (Ashley Johnson) --Jane foi dar uma volta e se livrou. Um desses quatro personagens morreu (clique aqui caso queira saber quem).

Todos eles fugiam de Madeline Burke (Mary Elizabeth Mastrantonio), que de dentro do FBI arma ciladas para capturar de vez Jane e sua equipe. A premissa da última temporada coloca os heróis em fuga e a vilã fazendo de tudo para pegá-los (ela contrata até mercenários). Há ainda a busca por um plano para acabar de vez com Madeline. "Ela é o nosso grande bicho-papão deste ano, com certeza", disse Gero em entrevista para o TV Line.

Por isso, Ponto Cego firmou um contrato de dois anos quando Mary entrou na série, pois havia a ideia de usá-la não apenas na quarta temporada, mas também no ano de despedida como a pessoa a ser batida, similar a um mestre na última fase de um game.

Mary Elizabeth Mastrantonio é a vilã da 5ª temporada de Ponto Cego

Objetivo concretizado

Durante o processo de criação da atração, Gero tinha em mente que queria seus personagens em fuga nos episódios derradeiros. Tudo culminou como imaginava. "O final da série é quase que exatamente como eu pensei que seria", disse em conversa para o site Collider.

"Quando você cria uma plano de cinco temporadas, às vezes alguns detalhes não se concretizam, faz parte. Mas sabíamos que no ano cinco eles [personagens principais] estariam fugindo de algo."

Os sobreviventes da explosão se reagrupam em um bunker utilizado na Guerra Fria (1947-1991), localizado na cidade de Praga (República Tcheca), para bolar contra-ataques mirando Madeline, mesmo com recursos escassos. A equipe de cenografia montou um cenário enorme para replicar esse esconderijo, local onde os personagens passam a maior parte do tempo nesta temporada.

Ponto Cego fez uma leva para agradar aos fãs. A trama retornou ao ponto inicial, a Times Square em Nova York, para terminar a história onde ela começou. Muitos personagens queridos de episódios do passado reaparecem para ajudar (ou atrapalhar) o time da Jane. Com certeza, o telespectador vai gostar de rever velhos conhecidos. E, como brinde, ainda é revelado o tão aguardado primeiro nome da genial Patterson.

Quem não for tão ansioso ou estiver disposto a madrugar para ver os novos episódios na Warner pode adotar um caminho alternativo, mais fácil. Sempre aos domingos, o capítulo mais recente de Ponto Cego estará disponível, para os assinantes do canal, nas plataformas VOD (video on demand) de todas as operadoras. Lá, o telespectador pode ver o episódio quando quiser.

Mas atenção: só cinco episódios mais recentes ficam disponíveis nesse tipo de serviço. Ou seja, assim que entrar o sexto, sai o primeiro. E assim por diante.



Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?