Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Sucesso interrompido

Crise da 2ª temporada atinge True Detective; relembre outras vítimas

Divulgação/HBO

O ator Colin Farrel é um dos protagonistas de True Detective 2; segunda temporada está aquém da anterior - Divulgação/HBO

O ator Colin Farrel é um dos protagonistas de True Detective 2; segunda temporada está aquém da anterior

JOÃO DA PAZ

Publicado em 24/7/2015 - 12h44
Atualizado em 26/7/2015 - 19h06

True Detective entra hoje (26) no sexto episódio enfrentando a chamada crise da segunda temporada. Uma das grandes atrações da TV paga em 2014, que chegou a ser qualificada de obra-prima, a série não consegue repetir o mesmo sucesso e a mesma repercussão neste ano, com nova história policial. A enorme quantidade de personagens e a trama confusa são apontados como razão do insucesso.

Estrelada por Colin Farrell, Vince Vaughn, Taylor Kitsch e Rachel McAdams, True Detective 2 decepcionou os críticos norte-americanos. "Aqueles que esperam algo mágico como visto com Matthew McConaughey e Woody Harrelson [protagonistas da primeira temporada] podem imediatamente diminuir o entusiasmo", alertou a revista Variety.

O site TV Line citou dois pontos que distanciam uma temporada da outra. O primeiro é o crime central de cada história. A caça a um político corrupto (True Detective 2), de acordo com a análise, está longe de chamar a mesma atenção que a complexa investigação de 17 anos em busca de um serial killer que tinha como vítimas garotas e mulheres (True Detective 1).

A direção também é desproporcional. Na primeira temporada, houve um elogiado plano-sequência de um tiroteio com seis minutos de duração. Na nova temporada, um outro tiroteiro, cheio de cortes, teve dezenas de civis, bandidos e policiais mortos, mas os protagonistas não sofreram um arranhão. 

Veja outras séries que, assim como True Detective, enfrentaram a crise da segunda temporada: 

A atriz Emily VanCamp em cena da segunda temporada de Revenge

Revenge

A mídia classificou a primeira temporada de Revenge, sobre a sede de vingança de uma socialite, como uma das melhores de 2011. A audiência nos Estados Unidos também correspondeu: 10 milhões de telespectadores por episódio. Mas a segunda temporada se distanciou da ideia original, e o criador do drama, Mike Kelly, deixou o posto de produtor-executivo para ser apenas um simples consultor. Revenge chegou ao fim neste ano com metade da audiência de quatro anos atrás.

Marcia Cross, Eva Longoria, Teri Hatcher e Felicity Huffman, atrizes de Desperate Housewives

Desperate Housewives

Assim como Revenge, Desperate Housewives (2004-2012) trazia um clima novelesco. Na primeira temporada, focou na união das protagonistas para descobrir a verdadeira causa da morte de uma amiga, classificada pela polícia como um suicídio. Essa escolha de roteiro atraiu os telespectadores e criou uma história interessante. Porém, na segunda temporada, os produtores partiram para o conflito entre as personagens principais, o que não vingou _até porque as atrizes não se davam bem 

O ator Masi Oka com Milo Ventimiglia em final da segunda temporada de Heroes

Heroes

A segunda temporada de Heroes (2006-2010) sofreu de um mal comum a séries: a adição desnecessária de novos personagens. A primeira temporada foi um sucesso, indicada ao Emmy e ao Globo de Ouro, e os heróis da trama estavam ganhando cada vez mais fãs. Porém, os primeiros episódios da segunda temporada foram dedicados à apresentação de novos nomes, um excesso admitido pelo próprio criador da série, Tim Krig. O que também prejudicou diretamente Heroes foi a greve dos sindicatos dos roteiristas norte-americanos em 2007, no meio da segunda temporada.

A atriz Mireille Enos no primeiro episódio da segunda temporada de The Killing

The Killing

O canal AMC, de The Walking Dead e Mad Men, trouxe em 2011 uma série policial inteligente e intrigante, envolta naquele modelo tradicional: quem matou fulano de tal? A trama evoluiu bem na primeira temporada, mas não revelou a identidade do assassino da adolescente Rosie Larsen. A segunda temporada se perdeu na investigação e, após o último episódio, o AMC decidiu cancelar a série. Uma parceira da Netflix com a Fox salvou o drama, que teve a terceira e a quarta temporadas para concluir a história.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?

Muito bom, tem todo o conteúdo que os fãs da Disney amam.
19.71%
O catálogo é bom, mas há falhas e problemas no aplicativo.
8.46%
Não gostei, o conteúdo não me interessou.
17.51%
Não assinei, achei o preço muito alto.
54.32%