The Kominsky Method

Criador de Big Bang Theory emplaca hit instantâneo com comédia de velhinhos

Divulgação/Netflix

Alan Arkin e Michael Douglas em cena da primeira temporada de Kominsky Method, comédia da Netflix - Divulgação/Netflix

Alan Arkin e Michael Douglas em cena da primeira temporada de Kominsky Method, comédia da Netflix

JOÃO DA PAZ - Publicado em 13/12/2018, às 05h22

A comédia The Kominsky Method é um sucesso absoluto antes mesmo de completar um mês no ar. A série da Netflix criada por Chuck Lorre conquistou oito indicações aos prêmios Globo de Ouro, Critics' Choice e SAG Awards. Nem com The Big Bang Theory ou Two and a Half Men (2003-2015) o produtor conseguiu um desempenho parecido.

Estrelada por ícones do cinema hollywoodiano, a comédia ganhou votos tanto de colegas atores (SAG) quanto de jornalistas especializados (Globo de Ouro e Critics'). A produção narra uma bela amizade, que começou na juventude e perdura até a terceira idade, entre o ator veterano Sandy Kominsky (Michael Douglas, 74 anos) e seu empresário e melhor amigo, Norman Newlander (Alan Arkin, 84).

A dupla irá disputar a mesma categoria (melhor ator) no SAG Awards, que coloca coadjuvantes e protagonistas em um balaio só. Eles estão na briga pela estatueta junto com outros comediantes da terceira idade, Tony Shalhoub (The Marvelous Mrs. Maisel), 65 anos, e Henry Winkler (Barry), 73. O "novinho" do grupo de indicados é Bill Hader (Barry), com apenas 40.

No Globo de Ouro, Douglas concorre na categoria melhor ator, enquanto Arkin está entre os coadjuvantes. No Critics' Choice, somente Douglas foi reconhecido.

The Kominsky Method ainda concorre à categoria principal de comédia nas três premiações citadas, e não será supresa alguma ela ganhar em pelo menos duas delas (Globo de Ouro e SAG). O Globo de Ouro gosta de premiar comédias novatas e o SAG valoriza séries com atores experientes como protagonistas.

reprodução/youtube

Chuck Lorre ao lado de Michael Douglas durante entrevista sobre The Kominsky Method

Antes de Kominsky Method, a série de Chuck Lorre que teve os melhores resultados nesse trio de premiações em seu ano de estreia foi Cybill (1995-1998). Foram três indicações no Globo de Ouro. A comédia, que acompanhava a derrocada da carreira da atriz Cybill Sheridan (Cybill Shepherd), relegada a papéis secundários, levou dois troféus: melhor atriz e comédia.

Os maiores hits da carreira de Lorre, Big Bang Theory e Two and a Half Men, só começaram a ser presença nas premiações mesmo a partir da segunda temporada. O primeiro (e único) Globo de Ouro vencido por Big Bang Theory foi em 2011, para Jim Parsons, pouco mais de três anos depois da estreia. Big Bang Theory nunca ganhou um SAG (mas teve oito indicações).

Já Two and Half Men nunca levou um Globo de Ouro (duas indicações) ou SAG (três indicações), com Charlie Sheen concorrendo quatro vezes, e Jon Cryer, uma.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Quem é o personagem mais trouxa da TV?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook