80 pontos

Como um blefe rendeu a Roberto Cabrini maior ibope da história do Jornal Nacional

Reprodução/SBT

Roberto Cabrini apresenta o Conexão Repórter, no SBT, mas já foi 'caçador de fugitivos' na Globo - Reprodução/SBT

Roberto Cabrini apresenta o Conexão Repórter, no SBT, mas já foi 'caçador de fugitivos' na Globo

REDAÇÃO - Publicado em 12/12/2018, às 05h50

Marcado na história do jornalismo investigativo pela entrevista exclusiva que realizou com o empresário PC Farias (1945-1996), então foragido da Justiça, Roberto Cabrini precisou "jogar um verde" para conseguir a conversa com o braço direito do ex-presidente Fernando Collor de Mello. O blefe funcionou: o furo de reportagem foi exibido no Jornal Nacional de 21 de outubro de 1993 e marcou 80 pontos no Ibope, recorde histórico da atração.

Cabrini fez a confissão em entrevista ao canal Pingue-Pongue com Bonfá, que o jornalista Marcelo Bonfá mantém no YouTube. No vídeo, o atual apresentador do Conexão Repórter admitiu que teve de utilizar recursos de reportagem moderna.

"Eu estava há meses investigando, tinha conseguido um endereço que supostamente seria do Paulo César Farias, mas nunca via ninguém nesse lugar. Aí, me avisaram que eu teria que viajar para o Japão, porque naquela época eu também cobria Fórmula 1, e ia ficar 20 dias fora. Resolvi dar um xeque-mate nessa investigação", contou Cabrini na conversa com Bonfá.

"Eu liguei para o telefone da Sanal [empresa de turismo com sede em Paris que prestava serviços diversos para brasileiros na Europa, caso de PC Farias] e falei: 'Eu quero falar com ele. Eu já tenho uma matéria pronta com ele. O Paulo César Farias está filmado. Mas eu acho que ele merece o direito de dar o seu lado da história'", lembrou ele. Tudo isso não passava de um grande blefe.

"Eu não tinha absolutamente nada, não tinha nem a certeza de que quem morava naquele endereço era o Paulo César Farias (risos). Era uma suspeita. Mas, quando eu dei o endereço, eles [os funcionários da Sanal] emudeceram e a entrevista aconteceu em dois dias", disse Cabrini.

reprodução/memória globo

O empresário Paulo César Farias durante entrevista concedida a Roberto Cabrini em 1993

A conversa, anunciada no dia anterior pelo Jornal da Globo, foi um fenômeno de audiência. "É a maior audiência da história do Jornal Nacional, deu 80 pontos no Ibope, nunca o JN tinha dado tamanha audiência assim", comemorou.

A história contraria a contada no site Memória Globo, que recupera momentos históricos da emissora. Na página, que conta com depoimento do próprio jornalista, a entrevista aconteceu por persistência de Cabrini. "Depois de conseguir o possível endereço de PC Farias, o correspondente fez plantão em frente ao prédio, até que o viu passar por lá e conseguiu a entrevista exclusiva", explica o arquivo da Globo.

Caçador de fugitivos
Depois de encontrar Farias, Cabrini virou o "caçador de fugitivos" oficial da emissora. "Acabei precisando me tornar um especialista em descobrir fugitivos da Justiça, porque foi algo que me propus", disse ele a Bonfá.

"Descobri a Jorgina de Freitas Fernandes, fraudadora do INSS, na Costa Rica [em 1997], que foi um furaço. Depois encontrei o Márcio Scherer, garoto de programa brasileiro que assassinou o empresário João Saboya em um hotel em Nova York [em 2002] e estava foragido no Brasil. E também o homem que roubou o depósito público do Rio de Janeiro, que a gente descobriu na África do Sul", listou.

A entrevista de Marcelo Bonfá com Roberto Cabrini terá outros vídeos, que serão publicados nos próximos dias. Confira a primeira parte:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é o casal mais quente de A Dona do Pedaço?
Vivi e Chiclete, a princesa e o plebeu têm química demais.
62.18%
Josiane e Régis, os vilões pegam fogo quando estão juntos.
2.08%
Fabiana e Rock, ele mostra que de santinha ela não tem nada
8.68%
Qualquer um que não seja Maria da Paz e Amadeu. Casal mais sem graça!
27.06%

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook