Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

COM SEU JORGE

Com mais de um ano de atraso, Netflix anuncia renovação de Irmandade

Aline Arruda/Netflix

Seu Jorge no presídio que serve de cenário para Irmandade

Seu Jorge no presídio que serve de cenário para Irmandade, da Netflix; nova temporada vem aí

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 21/2/2021 - 11h03

A Netflix anunciou neste domingo (21) a renovação da série nacional Irmandade para sua segunda temporada. A atração protagonizada por Naruna Costa e Seu Jorge e que mostra os bastidores de uma facção criminosa foi lançada em outubro de 2019 pela plataforma de streaming.

O Notícias da TV havia antecipado em 11 de fevereiro do ano passado que a produção brasileira teria novos episódios, com as gravações previstas para começarem no mês seguinte na Penitenciária Estadual de Piraquara, localizada na Grande Curitiba (PR).

O novo coronavírus, no entanto, mudou os planos da equipe, e a Netflix preferiu se manter calada sobre a produção da segunda temporada durante mais de um ano --afinal, no exterior, a pandemia forçou a plataforma a voltar atrás e cancelar séries que já haviam sido renovadas.

Confira o anúncio da segunda temporada de Irmandade:


'PCC da Netflix'

Irmandade ganhou o apelido de "PCC da Netflix" por contar a história do surgimento de uma facção criminosa similar ao PCC (Primeiro Comando da Capital) em São Paulo, no início da década de 1990.

Na primeira temporada, a produção contou com "figurantes" que entendem perfeitamente do universo. Prisioneiros de verdade adotaram o grupo fictício da trama da Netflix como se fosse real e até gritaram palavras de apoio a ele durante as gravações no presídio em que cumprem pena.

A produção foi gravada em um setor desativado da Penitenciária Estadual de Piraquara, mas o pavilhão ao lado, onde estavam abrigados os "figurantes", ainda funcionava normalmente.

"Os presos podiam nos ver pela janela. E eles gostaram da Irmandade, ficavam gritando o nome da facção fictícia, tivemos uma interação muito única aí", disse Pedro Morelli, criador da série, da qual também é diretor e roteirista, às vésperas da estreia da primeira temporada.

As cenas no presídio serviram como ponto de apoio para a jornada da protagonista, Cristina (Naruna Costa). Advogada em início de carreira no Ministério Público, ela é demitida do órgão em 1994 por causa de uma fraude. Acaba se associando ao detetive Andrade (Danilo Grangheia), que dá a ela uma missão: se infiltrar na Irmandade e desmanchá-la por dentro, entregando os cabeças da operação.

O problema é que um dos líderes da facção criminosa é Edson (Seu Jorge), irmão mais velho da mocinha, preso duas décadas antes por porte de drogas --e Cristina se culpa por ter denunciado o parente ao pai, que acabou chamando a polícia.

Dividida entre a ética e os laços familiares, a advogada se afunda cada vez mais nos problemas da facção, e sua lealdade é testada tanto pela polícia quando pela Irmandade o tempo todo.



Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?