Estreia

Cinco motivos para ver Jane the Virgin, série inspirada em novela latina

Divulgação/The CW

A atriz Gina Rodriguez, vencedora do Globo de Ouro de 2015, em cena da série Jane the Virgin - Divulgação/The CW

A atriz Gina Rodriguez, vencedora do Globo de Ouro de 2015, em cena da série Jane the Virgin

JOÃO DA PAZ - Publicado em 19/11/2015, às 10h38

Inspirada na novela venezuelana Juana La Virgen, de 2002, e uma das produções mais badaladas da TV americana neste ano, a série Jane the Virgin finalmente chega ao Brasil. Estreia nesta quinta (19) no canal Lifetime. A comédia estrelada por Gina Rodriguez, vencedora do Globo de Ouro, explora os conflitos éticos e religiosos que uma jovem de 23 anos enfrenta ao descobrir que ficou grávida acidentalmente, em uma inseminação artificial. Detalhes importantes: Jane, a moça, é virgem, pobre e foi criada por uma mãe solteira e por uma avó venezuelana católica fervorosa. Adora novelas e não sabe, no início, que é filha de um galã do gênero.

Um dos traços marcantes de Jane the Virgin é a ironia com situações típicas dos dramalhões latinos, como as constantes reviravoltas e a paixão exacerbda dos casais. O narrador da história brinca constantemente com o telespectador. "Se você acha que isso foi extraído de uma novela, você está certo!", diz a voz oculta no primeiro episódio (e em vários outras situações absurdas).

Além de apresentar Gina, a comédia revelou ao público norte-americano um ator bem conhecido dos brasileiros: Jaime Camil, protagonista de A Feia Mais Bela (2006-2007) e Por Ela Sou Eva (2012), novelas mexicanas exibidas pelo SBT. Na série, Jaime, ex-namorado da apresentadora Adriane Galisteu, interpreta o pai de Jane, Rogelio de la Vega, um egocêntrico astro da televisão.

Confira cinco motivos para não perder Jane the Virgin:

MONTAGEM/DIVULGAÇÃO/THE CW

Jane e o dilema: ficar com o namorado (Brett Dier) ou com o pai do bebê (Justin Baldoni)

Dramalhão típico

Uma virgem grávida. Só essa premissa já rende uma boa história. Mas Jane the Virgin abusa das idas e vindas típicas de um dramalhão de uma forma irônica. A mocinha fica dividida entre o atual namorado, Michael Cordero (Bret Dier), que tem dificuldade em entender a gravidez repentina da parceira, e o pai da criança, Rafael Solano (Justin Baldoni), que tinha apenas uma amostra congelada de sêmen, justamente a inserida em Jane. A comédia tem de tudo: máfia tcheca, corrupção, relações homossexuais e barracos no melhor estilo novela latina.

DIVULGAÇÃO/THE CW

Em Jane the Virgin, personagem de Gina Rodriguez demonstra uma genuína crença no bem  

Ingenuidade da protagonista

Em meio a tantas anti-heroínas em séries, como Olivia Pope (Kerry Washington) em Scandal e Annalise Keating (Viola Davis) em How to Get Away with Murder, a protagonista de Jane the Virgin traz um ar de ingenuidade e crença de que o bem sempre vencerá. Gina Rodriguez, 31 anos, consegue passar para o telespectador a mensagem por trás da personagem: embora o caos se apresente em sua vida, Jane crê que tudo dará certo no final.

DIVULGAÇÃO/the cw

A atriz Gina Rodriguez tira selfie com Jaime Camil em episódio da série 

Show de Jaime Camil

O ator mexicano Jaime Camil, 42 anos, rouba a cena em Jane the Virgin. Ele interpreta Rogelio de la Vega, o pai da protagonista. O personagem é uma celebridade extremamente vaidosa e cheia de si, astro de uma novela fictícia chamada The Passions of Santos. Camil conquistou os telespectadores dos EUA e ousou em campanha para concorrer ao Emmy deste ano: ficou nu em um pôster, cheio de frases elogiosas a ele, para tentar chamar a atenção dos integrantes da Academia de Televisão norte-americana. A estratégia não funcionou.

REPRODUÇÃO/ARISE 360

O ator e narrador Anthony Mendez em entrevista para o programa de entretenimento Arise 360

Narração digna de Emmy

Nem Gina nem Camil. A única indicação que Jane the Virgin recebeu no Emmy de 2015 foi na categoria melhor narração. O ator Anthony Mendez conecta em off os pontos da história de Jane e faz tiradas engraçadas. A estratégia dele para fazer uma voz marcante foi "criar algo parecido com a voz de Antonio Banderas, que fala bem suave, baixinho, em um tom romântico", disse Mendez ao jornal The New York Times. Quem levou o Emmy nessa categoria foi Peter Coyote, um dos narradores mais experientes de Hollywood.

DIVULGAÇÃO/THE CW

A atriz Ivonne Coll faz uma imigrante ilegal nos Estados Unidos e católica fervorosa

Risos e seriedade

Jane the Virgin está no centro de um debate em que a série Orange Is the New Black é a protagonista: pode uma comédia ter mais de 30 minutos de duração? Ambas as atrações trazem drama, mas a produção do canal norte-americano The CW é muito mais leve e risonha do que a série da Netflix. Jane the Virgin tem muitas piadas e um humor bem carregado, principalmente com o personagem de Camil. Embora também traga temas mais delicados, como a entrada ilegal de imigrantes nos EUA, drama vivido pela avó de Jane, Alba Villanueva (Ivonne Coll).


Programa: Jane the Virgin. Estreia: 19/11

Quando: quintas, às 22h30

Onde: Lifetime


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você está curtindo o programa Se Joga?
Sim, é divertido e leve.
22.26%
Não é horrível, mas também não é bom.
26.34%
Não, achei muito ruim, uma vergonha.
26.99%
Prefiro A Hora da Venenosa.
24.40%

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook