Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

RICKY WHITTLE

Astro de American Gods precisa até de dicionário para entender série

Fotos: Divulgação/Starz

Ricky Whittle contracena com Ian McShane (de costas) na primeira temporada de American Gods - Fotos: Divulgação/Starz

Ricky Whittle contracena com Ian McShane (de costas) na primeira temporada de American Gods

LUCIANO GUARALDO

Publicado em 5/3/2019 - 6h46

Se você assistiu à primeira temporada de American Gods e não entendeu nada, não se sinta mal. Ricky Whittle, protagonista da série, também teve dificuldades em compreender o que seu personagem, o ex-presidiário Shadow Moon, estava vivendo na ficção. "Eu lia os roteiros com um dicionário e um Thesaurus [glossário de sinônimos] do meu lado, porque não entendia algumas palavras, frases inteiras", confessa ele ao Notícias da TV.

A série do Amazon Prime Video, que volta em nova temporada na próxima segunda (11), de fato não é para os fracos. Conta a história de Shadow, um sujeito que sai da cadeia e é abordado pelo misterioso Mr. Wednesday (Ian McShane), que o leva em uma jornada pelos Estados Unidos no qual seus caminhos se cruzam com os de deuses clássicos, como o egípcio Anúbis e o nórdico Odin, e de atuais, como a Tecnologia e a Mídia.

Whittle admite que tanta confusão com os textos acabou sendo algo positivo. "Assim como eu, o Shadow também não fazia a menor ideia do que estava acontecendo. Então, as pessoas diziam que eu estava atuando muito bem, mas a verdade é que era eu mesmo. Realmente não entendia nada", conta ele, aos risos.

Para o ator, a série é intencionalmente confusa. "Se você entendeu American Gods desde o início, você é louco", brinca ele. "É uma série muito complexa, e nossos produtores fizeram isso de propósito. Ninguém deveria ter entendido a primeira temporada inteira. As pessoas só começaram a compreender o que estava acontecendo quando o Shadow passou a decifrar algumas coisas."

A boa notícia para os fãs é que a segunda temporada, que também estreia no Brasil em 11 de março, será mais compreensível (ou, no mínimo, menos incompreensível). "O que eu posso adiantar é que Shadow vai aprendendo muito durante os novos episódios. E eu fui entendendo mais [sobre a trama] conforme isso acontecendo", diz Whittle.

Shadow Moon (Whittle) com um dos soldados sem rosto do deus da Tecnologia: série pirada

Sem entrar em detalhes, o ator promete fortes emoções para os novos episódios. "Se você gostou da primeira temporada, a segunda vai ser ainda melhor. E o gancho do fim vai fazer sua cabeça explodir. Se você nunca leu o livro [Deuses Americanos, de Neil Gaiman], vai ser uma das revelações mais chocantes da história da TV. E, se já leu, vai adorar ver a maneira como fizemos isso, porque é bem diferente", adianta.

Até o momento, não há nenhuma confirmação de que American Gods terá uma terceira temporada, mas Whittle revela que os fãs cobram mais episódios. "O segundo ano nem estreou, e eles já querem um terceiro, um quarto, um quinto... Os fãs de hoje em dia são muito gananciosos (risos), não aguentam mais esperar."

Ele reconhece, no entanto, que o intervalo entre as temporadas foi mais longo do que o previsto --os showrunners da primeira temporada, Bryan Fuller e Michael Green, deixaram a série e foram substituídos por Jesse Alexander (ex-Lost e Heroes).

"Os fãs tiveram de esperar muito pelo segundo ano, e nós tivemos alguns problemas para resolver. Mas é uma série grandiosa, que leva um tempo. Estabelecemos um nível alto logo de cara, não queríamos entregar nada abaixo desse patamar. Os textos, as atuações, os efeitos especiais, nos certificamos de que tudo estava perfeito. Agora, estamos prontos para dar ao público o que ele merece. E, se tivermos mais temporadas, espero que elas cheguem mais rapidamente."

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?