Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

WALTER BREDA

Aos 71 anos, ator veterano faz sua estreia como protagonista de série

Divulgação/Comedy Central

Com um bigode falso, camisa estampada e microfone na mão, Walter Breda posa como cantor brega em cena de Auto Posto

Walter Breda como Nelson, protagonista da comédia nacional Auto Posto, estreia do Comedy Central

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 8/6/2020 - 5h00

Com longa carreira no teatro e papéis marcantes em novelas, Walter Breda, de 71 anos, finalmente conseguiu seu primeiro protagonista na TV. O ator é o astro de Auto Posto, série nacional que o canal pago Comedy Central estreia nesta terça-feira (9). E carregar um projeto desses nas costas teve um peso grande para o veterano.

"Foi muito puxado, porque eu gravava todo dia, estou em 90% das cenas. Não tinha descanso. Gravei cinco semanas ininterruptamente, sem parar, nesse ponto foi bem cansativo", admite Breda ao Notícias da TV. Em seguida, ele faz uma observação: "Na verdade, o grande personagem da série é o posto. E todos os personagens que orbitam ali são fantásticos e teriam total condição de ser o protagonista".

Auto Posto, como o nome indica, gira em torno de um posto de gasolina e serviços automotivos. O dono do local é Nelson Lopes (Breda), ex-cantor de música brega que faz de tudo para manter seu negócio aberto. Na sua equipe, estão os frentistas Bernadete (Neusa Borges) e Osiris (Valdir 7 Belo), o segurança Augusto (Robson Nunes) e o borracheiro Mestre (Nill Marcondes), entre outros.

O posto, que nunca foi um exemplo de estabelecimento bem-sucedido, ainda passa a ser ameaçado por um novo negócio, ultramoderno, que é aberto do outro lado da rua. Aí, o ex-artista e seus colaboradores decidem agir e fazem de tudo para atrair clientes --ou afugentá-los do concorrente. Vale-tudo!

"O Nelson é uma figura apaixonante, um cidadão brasileiro, mistura de Macunaíma com tantos outros heróis malandros que temos por aí. Aquele cara que vai dando os seus pulos para sobreviver, sabe?", apresenta o veterano, empolgado.

Na composição do personagem, Breda se inspirou em duas pessoas com quem conviveu de perto: o cantor Reginaldo Rossi (1943-2013) e o humorista Ronald Golias (1929-2005). "Acho que o Nelson tem muito da personalidade do Bronco [papel mais famoso de Golias], aquela malandragem. Ele não é mau-caráter, mas dá o seu jeitinho bem brasileiro. É um cretino, mas um cretino adorável", explica.

Já Rossi, seu amigo da época em que os dois ainda moravam no Recife, foi homenageado com o lado musical do personagem.

"Na época que eu conheci o Reginaldo ele ainda não era cantor de brega, era da Jovem Guarda. Mas o Nelson era brega mesmo, ganhou até disco de platina com o sucesso Beijo Melado. E em um determinado episódio da série ele volta a cantar, num palco improvisado no posto, para promover o negócio", adianta o veterano.

Além da alegria de ser protagonista, Walter Breda ainda celebra que sequer precisou fazer teste para o papel em Auto Posto. "Fui convidado. O Marcelo Botta, idealizador e diretor da série, quis que eu fizesse. E nunca nem tínhamos feito nada juntos, ele só conhecia o meu trabalho. Eu li o roteiro e topei na hora. Achei o texto rápido, engraçado, sem palavrão. É uma opção leve de diversão, e nós estamos precisando disso, porque o clima está muito pesado", observa ele.

Confira o trailer da atração, que o Comedy Central exibirá toda terça, às 22h:


Leia também

Web Stories

+
Nos Tempos do Imperador: Conheça os personagens da nova novela da GloboMeghan Markle completa 40 anos: Veja cinco papéis da duquesa de Sussex na TV e no cinemaLonge de Hollywood: Veja como estão os atores de O Diário da PrincesaDe vício em games a indicação ao Emmy: Como estão os atores de A ViagemVômito, narrador ridículo e ‘xerecada’: Cinco momentos engraçados das Olimpíadas

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Galvão Bueno merece ganhar um programa aos domingos na Globo?