Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Ziriguidum

José Alfredo será tema de desfile de escola de samba em Império

Divulgação/TV Globo

O ator Alexandre Nero em cena de Império; seu personagem, José Alfredo, será tema de escola de samba - Divulgação/TV Globo

O ator Alexandre Nero em cena de Império; seu personagem, José Alfredo, será tema de escola de samba

ODARA GALLO

odara@noticiasdatv.com

Publicado em 24/11/2014 - 5h43

Os desfechos dos personagens de Império ainda estão longe de serem revelados, mas uma coisa é certa: a trama promete terminar em Carnaval. Os últimos capítulos da novela das nove vão coincidir com a data festiva, e o autor Aguinaldo Silva, assim como fez em Duas Caras e Senhora do Destino, envolverá o samba na história do protagonista, José Alfredo (Alexandre Nero).

No capítulo que irá ao ar em 11 de dezembro, Antoninho (Roberto Bonfim), presidente da Unidos de Santa Teresa, aparecerá fazendo um anúncio para os integrantes da escola. "Foi assim que o comendador José Alfredo Medeiros chegou aonde chegou. Do nada, só com a força de vontade inquebrantável, o homem construiu um império! E é a história dele, a saga de um homem que nunca desistiu diante dos obstáculos, que vai ser o tema da nossa escola este ano. Homem de Preto em Terra de Brilhantes!”, dirá ele empolgado, lançando o concurso para escolher o melhor samba-enredo para representar o tema.

Samba na trama

Misturar as paixões brasileiras, Carnaval e novela, é bem comum na ficção. O autor de Império, por exemplo, fez isso em 1984, quando escreveu Partido Alto em parceria com Glória Perez, em que Jussara (Betty Faria) era porta-bandeira da Acadêmicos do Encantado e viu seu grande amor, o compositor Piscina, interpretado por José Mayer, ser morto em pleno desfile.

Na história mais recente, as novelas de Aguinaldo Silva que também terminaram em samba foram Senhora do Destino e Duas Caras. Na primeira, exibida entre 2004 e 2005, a Unidos de Vila São Miguel contou a história de Maria do Carmo, vivida por Susana Vieira, que era apaixonada pelo bicheiro Giovanni Improta (José Wilker). As cenas foram gravadas no desfile da Grande Rio.

Já na segunda, a escola fictícia era Nascidos na Portelinha, que tinha Juvenal Antena (Antônio Fagundes) como mandachuva, e foi durante a apresentação da Portela no Carnaval de 2008 que os personagens entraram na Sapucaí.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?