BAIXA AUTOESTIMA

Cirurgia plástica de Rafa Brites expõe insegurança de mulheres sobre cicatrizes

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

A coach Rafa Brites em foto publicada nas redes sociais com a mão levantada

Rafa Brites em foto publicada no Instagram; após relatar problema com cicatrizes, coach recebeu desabafos

KELLY MIYASHIRO - Publicado em 23/02/2020, às 05h16

Rafa Brites compartilhou nas redes sociais que faria uma cirurgia plástica na cicatriz da cesárea de Rocco, seu primeiro filho com o apresentador Felipe Andreoli. A coach desabafou sobre as dores muito fortes que sentia na região da barriga e se surpreendeu com o relato de várias seguidoras, que decidiram expor como as cicatrizes as deixam inseguras em relação ao próprio corpo.

Pela ferramenta de Stories do Instagram e antes de entrar na sala de cirurgia, Rafa perguntou a suas seguidoras se elas tinham vontade de melhorar o aspecto das marcas deixadas pelo parto de cesárea. Após a operação, ela voltou a interagir em seu perfil e mostrou prints da tela do celular com várias respostas.

Muitas alegaram que não conseguiam se relacionar sexualmente por vergonha do próprio corpo. "Eu fiquei mais impressionada com as mulheres que tiveram filhos e se separaram, ou tiveram filhos solteiras, ou que tiveram e o papai partiu porque quis, elas têm vergonha de terem novos namorados. Porque [elas questionam]: 'Como que você mostra uma cicatriz para um novo namorado que não fez parte daquela história, sabe?'", refletiu Rafa.

Em entrevista ao Notícias da TV, o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Dênis Calazans, explica que operar uma cicatriz não é questão de aumentar a autoestima baseada apenas na estética, mas também para melhorar a saúde da paciente de uma forma geral, já que o bem-estar psicológico também é importante. 

Para melhorar o aspecto de uma cicatriz hipertrófica ou queloidiana --que é quando a pele produz colágeno em excesso, causando uma cicatriz elevada--, o especialista recomenda alguns tratamentos. Infelizmente, ainda não há cura para essa condição genética mais comum entre pessoas com ascendência asiática e africana.

reprodução/tv globo

Em 2018, o Bem Estar (quando era programa na Globo), exibiu reportagem sobre cicatrizes

Algumas alternativas são: aplicação com seringas de corticoides, também conhecidos como corticosteroides ou cortisona, diretamente nas marcas; uso de placas adesivas de silicone para comprimir o aumento da pele; sessões de betaterapia, uma radiação que visa reprimir a produção de colágeno; e, em último caso, a cirurgia de remoção.

"Se uma situação como essa, em que a paciente tem uma cicatriz patológica, que lhe causa desconforto, constrangimento, como por exemplo uma cicatriz de cesárea em seus momentos de intimidade, acho que há sim a indicação da cirurgia reparadora ou plástica como solução para melhorar esse tipo de situação", avalia o especialista.

Rafa Brites declarou que não sentia o mesmo problema de autoestima como suas seguidoras, mas se solidarizou pelas fãs. "Eu não tenho lugar de fala para falar sobre isso, porque eu nunca sofri com isso. Sim, meu corpo é julgado e objetificado, mas [estou] longe de sofrer com gordofobia ou com toda essa opressão que a mulher sofre pra estar naquele corpo e naquele peso", finalizou. 

Confira o momento em que Rafa Brites conta sobre os relatos de suas seguidoras: 

Desabafo sobre cicatriz 

Em 17 de fevereiro, Rafa Brites revelou que vivia há três anos sentindo dores fortes na região da cicatriz da cesárea. A mulher de Felipe Andreoli se submeteu a uma cirurgia para tentar acabar acabar com o desconforto e declarou que não era por uma questão estética.

"Até acho a cicatriz bonita, mas a minha dói muito, toda vez que coloco calça jeans machuca", desabafou a ex-apresentadora da Globo. A loira contou que testou outros procedimentos, mas não obteve sucesso. "Falaram que [melhorava] entre quatro e seis sessões... Eu já fiz mais de 30 [e não melhorou]!", lamentou a mãe de primeira viagem sobre a aplicação de corticoides. 

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Que jornalista está fazendo o melhor trabalho durante a pandemia?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook