PhD em Harvard

Taís Araújo é escalada para interpretar a cientista Joana D'Arc Félix no cinema

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Taís Araújo apresentando o Pop Star; atriz foi escalada para interpretar cientista no cinema - REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Taís Araújo apresentando o Pop Star; atriz foi escalada para interpretar cientista no cinema

REDAÇÃO - Publicado em 11/04/2019, às 09h06 - Atualizado às 09h44

Taís Araújo está escalada para o papel principal do filme que contará a história da premiada cientista brasileira Joana D'Arc Félix. O longa mostrará a trajetória da mulher que teve infância pobre e conseguiu se tornar PhD em química na prestigiada universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

De acordo com a colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, o projeto é da Globo Filmes e tem roteiro de Alvaro Campos com supervisão de Patricia Andrade. A roteirista assinou os textos de O Frenético Dancin´Days e Elis, a Musical em parceria com Nelson Motta.

A direção é de Alê Braga, que repete a parceria com Campos já realizada nos documentários Tá Rindo de Quê e Rindo à Toa – Humor Sem Limites.

Medida Provisória

No cinema, a atriz também fará Medida Provisória, filme que marca a estreia de seu marido, Lázaro Ramos, na direção. As primeiras cenas do longa, que tem como base o espetáculo Namíbia, Não!, começaram a ser gravadas há dois meses.

Além de Taís, Alfred Enoch, que interpretou Wes em How To Get Away With Murder, Seu Jorge, Mariana Xavier e Luís Miranda também estão no elenco.

A trama se passa em um futuro no qual o governo brasileiro decreta uma medida para que os cidadãos negros retornem às suas origens na África. Dois primos, presos em um apartamento, se deparam com esse impasse, e temas como identidade, representatividade, questões sócio-culturais e econômicas estarão em pauta.

Joana D'Arc Félix de Souza

 

reprodução/ tv globo

Joana D'Arc Félix de Souza, premiada cientista brasileira será vivida por Taís Araújo

Joana D'Arc Félix no Conversa com Bial: cientista será vivida por Taís Araújo no cinema

 

A cientista brasileira soma nada menos que 56 prêmios em sua carreira, com destaque para o título de Pesquisadora do Ano no Kurt Politizer de Tecnologia de 2014, concedido pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abquim).

A pesquisa dela diz respeito à utilização da pele suína em transplantes em seres humanos. O tema surgiu quando um trabalhador da sua cidade natal, Franca, interior de São Paulo, sofreu graves lesões ao derrubar acidentalmente um galão de ácido sulfúrico sobre o corpo. A vítima era parente de um aluno de Joana.

Joana batalhou para conquistar os títulos. Filha de uma empregada doméstica, veio de uma família com poucos recursos, mas conquistou vagas para estudar na Unicamp, USP e Unesp. Aprovada em todas, optou pela Universidade de Campinas, onde também fez seu doutorado.

A pesquisadora rompeu fronteiras após o convite para o pós-doutorado em Harvard, nos Estados Unidos. A instituição é uma das mais respeitadas no mundo.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você gostou de Órfãos da Terra?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook