Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

SORRIA!

5 filmes de comédia para assistir na Netflix e manter a saúde mental na quarentena

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Em cena do filme Preso em Casa, da Netflix, os atores Ali Fazal e Shriya Pilgaonkar jogam vídeo-game

Ali Fazal e Shriya Pilgaonkar no filme Preso em Casa, da Netflix: uma boa comédia para curtir na quarentena

REDAÇÃO

Publicado em 10/4/2020 - 5h25

Com a quarentena no Brasil prestes a completar um mês, não está fácil para ninguém descobrir a cada dia uma nova atividade ou passatempo para espantar o tédio. Ainda assim, é necessário permanecer em casa e evitar o avanço do coronavírus. Por isso, o Notícias da TV fez uma lista com cinco filmes de comédia para assistir na Netflix.

Dar algumas risadas e se distrair com tramas "bobinhas" pode ser uma boa saída na tentativa de manter a saúde mental em dia. O catálogo do streaming mais popular do Brasil conta com opções para todos os gostos.

Na lista abaixo, existem comédias românticas, bem ao estilo dos clichês da Sessão da Tarde, e outras com tramas mais diferentes. Um filme pouco divulgado no Brasil, mas que é perfeito para esse momento, é o indiano Fique em Casa, que conta a história de um homem decidido a não sair mais do apartamento onde vive.

Filmes de comédia na Netflix

Veja abaixo a lista e os trailers com cinco filmes que podem te ajudar a manter a saúde mental na quarentena:

Preso em Casa (2019)

Poucos filmes podem combinar tanto quanto esse com o momento que o mundo está vivendo. Nessa comédia indiana, um homem bem-sucedido, por algum motivo misterioso, decide não sair de sua casa. É de lá que ele trabalha, realiza operações bancárias e faz tudo. Os funcionários do prédio ganham um extra para ajudá-lo com as compras, por exemplo.

Esse estranho confinamento no apartamento começa a ser ameaçado com a chegada de um pacote de uma vizinha maluca e o início de um relacionamento com uma jornalista curiosa, que vai até o local para entrevistá-lo.

Dumplin' (2018)

Willowdean Dickson (Danielle Macdonald) é uma jovem que, apesar de estar acima do peso, sempre demonstrou confiança com a própria imagem. O amor próprio cultivado pela personagem foi, em grande parte, influenciado pela convivência com a tia Lucy (Hilliary Begley). Ela também foi a responsável por apresentar para a menina as músicas da cantora country Dolly Parton, que embalam o filme e trazem mensagens poderosas para a trama e para as personagens.

Porém, as características de Willowdean vão na contramão da vida levada por Rosie (Jennifer Aniston), mãe da garota e uma ex-miss que ainda vive em função do título. Para provar seu valor à mãe e honrar a memória da tia, Willowdean decide desafiar todos os padrões sociais e se inscreve em um concurso de beleza que é organizado por Rosie.

Meu Nome É Dolemite

Um dos atores de comédia mais populares entre as décadas de 1980 e 2000, Eddie Murphy estreou como protagonista de um filme da Netflix no ano passado, quando chegou a figurar entre os cotados ao Oscar. Por Meu Nome É Dolemite, ele entrou na corrida pela estatueta, mas acabou ficando de fora na lista final de indicados.

Murphy interpreta Rudy Ray Moore, um vendedor de discos de uma loja pequena que luta para fazer sucesso como cantor e comediante. A vida do aspirante a artista muda quando ele começa a ouvir as histórias das ruas para renovar seu repertório, inserindo piadas sujas e repletas de palavrões. Assim, ele vira um enorme sucesso e decide fazer um filme com recursos próprios. O longa é baseado em uma história real.

Megarrromântico (2019)

Após ser assaltada e bater a cabeça em uma pilastra, Natalie (Rebel Wilson), que sempre detestou as comédias românticas que criam um ideal de amor, acorda e descobre que sua vida, até então monótona, se transformou em um filme desse gênero.

Megarrrômantico ironiza os grandes clichês do cinema, como números musicais coreografados, corridas em câmera lenta e o típico casamento sendo interrompido pela verdadeira alma gêmea do noivo. Além disso, o longa traz uma protagonista fora do estereótipo de "mulher perfeita" propagado durante anos pelo gênero.

Como se Fosse a Primeira Vez (2004)

Que tal um clássico e, de quebra, ainda matar a saudade de ver a praia durante a quarentena? Com Adam Sandler e Drew Berrymore, Como Se Fosse a Primeira Vez (2004) conta a história de Henry Roth (Sandler), um veterinário mulherengo que se apaixona por Lucy Whitmore (Drew) assim que coloca os olhos nela em um café. 

A paixão, porém, tem um grande obstáculo: Lucy sofre de perda de memória recente e no dia seguinte ela já nem se lembra mais de Henry ou de qualquer outro fato do dia anterior. Assim, o veterinário se vê obrigado a conquistá-la todos os dias. O filme clichê se passa no Havaí e, com uma história leve, consegue te transportar a esse destino de férias dos sonhos.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?