Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SANDRA MARA

Mulher que teve caso com morador de rua desabafa: 'Sinto nojo de mim'

REPRODUÇÃO/REDETV!

Sandra Mara Fernandes no estúdio do Superpop; ela está chorando e veste um terno azul claro

Sandra Mara Fernandes no Superpop; ela relembrou o caso com o morador de rua e se defendeu

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 5/5/2022 - 15h38

Sandra Mara Fernandes, mulher que foi flagrada pelo marido fazendo sexo com o ex-morador de rua Givaldo Alves, fez um desabafo emocionante no Superpop, da RedeTV!. "Muitas vezes eu sinto nojo de mim, eu não consigo não sentir. É por isso que eu preciso continuar o tratamento, para curar isso. Só quem passa sabe", declarou, no programa de Luciana Gimenez.

Sandra está em tratamento psiquiátrico para lidar com o transtorno bipolar afetivo. Tal condição gerou o surto psicótico que a levou a ter relações sexuais com Givaldo dentro do seu carro, em março deste ano. As imagens do marido flagrando a cena viralizaram nas redes sociais, e a história ganhou ainda mais força quando o morador de rua deu suas versões --inclusive em uma entrevista que deu à Band e acabou vazada.

"Depois que eu vi toda essa exposição e humilhação que fizeram comigo eu não acreditei. Porque criaram um personagem de horror pra mim. Me colocaram no fundo do poço, como uma mulher qualquer. Procurava me proteger, proteger a minha família. Ser vítima disso e superar uma situação dessa não é fácil", relatou Sandra.

Ao ser perguntada sobre o dia do ocorrido, ela reiterou que não conhecia Givaldo e deu sua versão da história: "Naquele momento eu estava com a minha sogra e a gente estava nesse processo de doação. A gente foi buscar a minha filha na escola às 16h, foi quando o indivíduo chegou. Eu fiquei no carro sozinha, ela foi buscar a minha filha, e foi nesse momento que ele chegou".

"Eu lembro do ato em si, não lembro da conversa que houve porque foram muitas horas dentro do carro, eu não lembro. Eu lembro da fase do hospital", relatou.

Segundo Sandra, depois de ser internada ela ainda teve mais três surtos no hospital e diz ter uma memória vaga destes momentos: "Não lembro do terceiro surto. Eu estava no hospital e não queria vestir roupa, foi meu marido que me contou depois, porque eu não lembro da cena".

"Lembro do segundo surto, que eu fui amarrada por mais de quatro homens, porque eu tinha uma força que eu não imaginei, segundo o meu pai. Eu fui parar em três hospitais no total. Foram os piores dias da minha vida, e não desejo pra ninguém", revelou.

Durante a entrevista, ela chorou diversas vezes e lamentou o ocorrido. "Eu choro porque eu não queria passar por isso. Não queria estar aqui, não queria esse tipo de exposição. Eu queria voltar para a minha vida normal", desejou.

Confira abaixo a entrevista de Sandra Mara na íntegra.

Givaldo Alves prestou depoimento

O ex-morador de rua Givaldo Alves prestou depoimento à Polícia Civil na última terça-feira (3). Ele é investigado pela acusação de crime de estupro de vulnerável. Na delegacia, ele se reuniu com uma promotora de Justiça que o informou de uma decisão judicial que o impede de falar o nome de Sandra.

A defesa de Givaldo alega que ele também é vítima no caso, pois foi agredido pelo personal trainer Eduardo Alves, marido que flagrou a cena. Desde que ficou conhecido, o ex-morador de rua virou uma celebridade nas redes sociais. Ele já foi flagrado em carros e apartamentos de luxo e, durante o Carnaval, compareceu ao camarote da Sapucaí.

Em seu perfil no Instagram, Givaldo havia acumulado mais de 400 mil seguidores e chegou a fazer peças publicitárias. Atualmente, sua conta está bloqueada da plataforma e seus advogados afirmaram estar preparando uma ação judicial contra a rede social.

TUDO SOBRE

RedeTV!

SuperPop


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.