Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

AGRESSÃO EM 2016

Luiza Brunet comemora decisão do STJ contra Lírio Parisotto: 'A luta é difícil'

AGNEWS

Imagem de Luiza Brunet com vestido vermelho ao lado de plantas

Luiza Brunet em evento na cidade de São Paulo; STJ confirmou a condenação do empresário por agressão

ERICK MATHEUS NERY

erick@noticiasdatv.com

Publicado em 16/9/2020 - 21h24

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou o empresário Lírio Parisotto por agressão a sua ex-mulher, a modelo Luiza Brunet. A decisão, publicada na terça-feira (15), foi motivo de comemoração para a vítima. "A luta é difícil e longa, mas não vamos desistir dos nossos direitos", disse ela.

Ao Notícias da TV, Luiza parabenizou a decisão judicial e espera que o caso sirva de exemplo para outras mulheres: "Fico muito comovida com tudo o que tenho visto e acessado nestes anos sobre mulheres que esperam definição nos seus processos. Sem esperança, [elas] acabam adoecendo, não conseguem seguir em frente. Por isso, com muito orgulho, postei para dizer a todas as mulheres que esperam por justiça que não desistam, não joguem a toalha".

Em 2016, Luiza acusou Lírio de agressão. O caso ocorreu em Nova York (EUA) e, durante a briga, ela teve quatro costelas quebradas. No ano seguinte, o empresário foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Ele recorreu da decisão, mas perdeu novamente na segunda instância, em 2019.

O empresário apresentou um novo recurso ao STJ, que analisou o caso e confirmou a condenação ontem, por unanimidade. "O STJ disse que Lírio praticou efetivamente o crime contra Luiza e que este tipo de atitude é repugnante", explicou o advogado Pedro Egberto da Fonseca Neto, responsável pela defesa da modelo.

A reportagem entrou em contato com a defesa de Lírio Parisotto, mas não obteve retorno até a publicação deste texto.

"Ele até pode insistir na interposição de recursos, como lhe faculta a lei. Mas com esse julgamento, a Justiça Brasileira reitera, de maneira contundente, que a agressão contra mulher é crime e merece reprimenda a altura, principalmente para aquele que chamou a Lei Maria da Penha de 'Leizinha Vagabunda'", afirmou ela nas redes sociais.

Confira a publicação:

Ver essa foto no Instagram

Na data de ontem o Superior Tribunal de Justiça confirmou a pena do meu agressor, por unanimidade. Ele até pode insistir na interposição de recursos, como lhe faculta a lei. Mas com esse julgamento, a Justiça Brasileira reitera,de maneira contundente, que a agressão contra mulher é crime e merece reprimenda a altura,principalmente para aquele que chamou a Lei Maria da Penha de “LEIZINHA VAGABUNDA”. Não importa a classe social, tampouco o poder que o agressor acredite ter. No fundo, agressores de mulheres são sempre covardes. Temos sempre que acreditar na Justiça e denunciar a violência sofrida, para que outros agressores sejam condenados também, como ele foi. 👇🏾👇🏻👇🏿 A luta é difícil e longa mais não vamos desistir de lutar pelos nossos direitos. #direitodasmulheres 👈👈🏽👈🏿 @institutomariadapenha #leimariadapenha #14anosdaleimariadapenha #180 #190 #policiamilitar #ministeriopublicosp @stjnoticias @pinogomes @edilsonferreira89

Uma publicação compartilhada por Luiza Brunet 🧿 (@luizabrunetoficial) em


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?

Vanessa Giácomo
21.13%
Lucy Alves
16.78%
Rafa Kalimann
12.62%
Isis Valverde
22.07%
Uma atriz desconhecida
27.40%