Elcio Coronato

Ex-Legendários articula relançamento da Playboy; relembre capas mais vendidas

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Elcio Coronato como repórter em vídeo para o canal da Playboy Brasil no YouTube

Elcio Coronato foi repórter do Legendários, na Record, e embaixador da Playboy Brasil no YouTube da revista

ELBA KRISS - Publicado em 23/01/2020, às 05h08

Dois anos após encerrar suas atividades no país, a Playboy Brasil engatinha uma possível volta às bancas. O curioso é que investidores buscaram Elcio Coronato, ex-repórter do programa Legendários (2010-2017), da Record, para a missão. "As pessoas continuam me associando à marca [Playboy]. Conheço muitas pessoas de diversas áreas e o dono de uma empresa de comunicação veio até mim com esse interesse", conta ao Notícias da TV. Coronato foi "embaixador" da revista.

"Fizemos algumas reuniões, expliquei os detalhes e passei uma estimativa do orçamento anual, tanto da operação quanto do licenciamento. Estamos ainda na fase de preparação do planejamento para apresentar para a matriz", adianta o ex-colega de Marcos Mion.

O projeto de ressuscitar o produto deve ser enviado para a Playboy Enterprises, nos Estados Unidos, em fevereiro. Coronato é uma figura conhecida na televisão e internet. Além da Record, ele passou pela MTV Brasil. No YouTube, o ex-repórter tem mais de 1 milhão de inscritos em seu canal sobre inteligência social.

Sua relação com o título masculino começou em 2017, quando foi embaixador e diretor de conteúdo da publicação. O trabalho foi potencializar o canal da revista na plataforma de vídeos do Google. "Batemos 15 milhões de visualizações com conteúdo novo e original de comportamento", ressalta.

Juju Salimeni: capa mais relevante para Elcio Coronato

Para relançar a publicação, Elcio está com "um planejamento impecável para conhecer o novo público". "O faturamento não virá diretamente da revista, mas indiretamente. A revista é o grande chamariz mas não pode ser o principal produto. O faturamento tem que vir da assinatura de conteúdo online e de eventos", frisa ele.

Coronato não adianta os números para o retorno sob o pretexto de ser um "erro estratégico" divulgar qualquer valor. Ele vai além e lista a falta de planejamento como a principal falha da PBB Entertainment, que publicou o título entre 2016 e 2018, depois que a Editora Abril tirou a marca de seu catálogo.

"A principal divergência que existia entre mim e a PBB é que eles acreditavam que o faturamento viria da revista. Esse foi o erro crucial", alfineta. Coronato ressalta que o primeiro passo é reunir investimento e conseguir a aprovação da matriz. O segundo será ir atrás das famosas para os ensaios.

Para o ex-repórter, a capa de Juju Salimeni de outubro de 2017 foi a mais relevante durante sua passagem pelo grupo editorial. A ex-assistente de palco do Legendários tirou a roupa duas vezes para a publicação. A primeira foi em janeiro de 2010.

Relembre as cinco capas mais vendidas da Playboy no Brasil: 

Reprodução/Editora Abril

Joana Prado e Suzana Alves lideram as capas mais vendidas na história da Playboy no Brasil


1º lugar - Feiticeira

Em dezembro de 1999, Joana Prado apareceu só de véu para alegria dos telespectadores do Programa H (1996-1999), comandado por Luciano Huck na Band. A revista vendeu 1,247 milhão de exemplares.

2º lugar - Tiazinha

Em março de 1999, Suzana Alves, outra personagem criada pelo Programa H tirou a roupa e animou a imaginação de 1,223 milhão compradores da revista.

REPRODUÇÃO/EDITORA ABRIL

Adriane Galisteu, Scheila Carvalho e Sheila Mello: grandes acertos de vendas da Playboy Brasil


3º lugar - Adriane Galisteu

Em agosto de 1995, a apresentadora celebrou os 20 anos da publicação e tirou o fôlego do público ao aparecer se depilando em uma das fotos. Vendeu 961.527 exemplares.

4º lugar - Scheila Carvalho

A morena do É o Tchan posou para a publicação em fevereiro de 1998. Vendeu 845.168 mil revistas surfando na onda do axé. Ela fez cinco ensaios para a revista.

5º lugar - Scheila Carvalho e Sheila Mello

De seios de fora e com fotos na Amazônia. Foi assim que a dupla do É o Tchan posou para a publicação masculina e vendeu 838.206 exemplares. A capa é de setembro de 1999.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual reprise da Globo você mais quer ver?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook