Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

APOIO

Deborah Secco se solidariza com atrizes que denunciaram assédio: 'Horror e raiva'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Deborah Secco posa com a mão na cintura, de blusa branca com estampa do Criança Esperança

Deborah Secco se solidarizou com atrizes que denunciaram assédio sexual nos bastidores da TV

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 14/12/2020 - 19h10

Deborah Secco foi mais uma celebridade que apoiou duas atrizes que fizeram as denúncias de assédio sexual nas redes sociais, no domingo (13). A artista demonstrou solidariedade a Júlia Corrêa e Clara Ferrari, que relataram terem sido vítimas de abuso de um famoso preparador de elenco no Rio de Janeiro. "Sinto horror e raiva", disse Deborah.

"A arte é meu ofício, minha vida e, antes de tudo, minha paixão. Vendo, ouvindo e lendo relatos dessas mulheres vítimas de assédio sexual enquanto buscavam seu sonho, que foi e que também é o meu, sinto horror e raiva e consigo imaginar a dor tamanha de quem passou por isso", escreveu a atriz em seus Stories no Instagram.

Deborah, que já voltou a gravar Salve-se Quem Puder, novela das sete da Globo, considerou que a união das mulheres é fundamental para combater a cultura machista e evitar que surjam novas vítimas de abuso sexual.

"A vocês, meu respeito e admiração pela coragem de romper o silêncio. O processo é doloroso, mas transformador. Sigo lado a lado com vocês, consciente de que nossa força poderá impedir que situações como essa se repitam sem consequências", ressaltou. Marina Ruy Barbosa e outras artistas, como Bruna Linzmeyer, Olivia Torres e Lorena Comparato, também apoiaram as jovens.

As denunciantes contaram que o preparador é conhecido no meio como "o grande mago". Segundo as atrizes, ele costuma fazer ataques nos grupos de atores e redes sociais da classe artística.

Júlia destacou a importância de denunciar casos como estes no momento atual, logo após virem à tona as acusações de abuso de Marcius Melhem, ex-diretor de Humor da Globo.

"Não dá mais para ficar calada. Tentei que outras meninas me ajudassem nesse processo, porque eu escutei muitas coisas. Graças a Deus, eu fui muito protegida durante todo o tempo que eu tive perto desta pessoa. Nada sério aconteceu comigo, mas eu vi acontecer com outras pessoas. Estou falando de um conhecido preparador de elenco do Rio de Janeiro, um grande mestre, um grande mago e uma pessoa visualmente e fisicamente inofensiva, mas que não é", relatou Júlia.

Ela também afirmou que recebeu um convite para "tomar banho" com o preparador de elenco. "Não dá mais pra levar isso como normal no meio artístico. O abuso psicológico e sexual é constante, e nós seguimos a vida como se nada estivesse acontecendo, mas está. Espero que mais e mais mulheres tenham coragem de falar sobre esses grandes mestres que estão acabando com os nossos sonhos e [nosso] psicológico", acrescentou.

Já Clara, ao detalhar sua experiência com o homem acusado de assédio, salientou que viveu uma das "maiores desilusões" de sua vida. "Em 2017, me mudei para o Rio de Janeiro em busca do meu sonho de trabalhar como atriz. Vim de uma família humilde que, apesar de apoiar o meu sonho, não tinha condições financeiras de me ajudar a realizá-lo. Por já ter trabalhado com esse preparador de elenco, acreditei que podia confiar nele, foi quando sofri o assédio", denunciou.


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Além de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na políticaApós derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco originalTadeu Schmidt no BBB22: Conheça a carreira do apresentador na Globo

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas